InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 T03E09 - Revelações

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Nova

avatar

Mensagens : 407
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   Sab Fev 27, 2016 1:25 pm

Nova se aproxima do local onde Impacto e Iceberg conseguiram atingir o Conde, notando que o infamo mago não estava mais lá. Ela olha de volta para Flor do luar e a Srta. Rosu, só para notar que a primeira havia sumido também e a segunda estava desacordada no chão.

É então que eles ouvem passos das escadarias do local, percebendo que era o Conde, agora com Ana em seus braços. Vendo a sua melhor amiga desacordada nos braços do inimigo enfurece a super-moça, ao mesmo tempo em que começa a sentir uma forte ansiedade, se lembrando de Veloz e vendo o pesadelo que havia tido antes começar a se concretizar.

- ANA!!! Maldição... - A voz de Nova vai desaparecendo a medida que ela termina a frase.

A jovem de cabelos escuros então tenta respirar fundo, fechando o semblante e batendo com os dois punhos simultaneamente contra o chão algumas vezes logo em seguida.

- Iceberg, Impacto, Morfo, ataquem ele! Ataquem com tudo!! Eu não me importo como, mas temos que tomar a Ana dos braços dele!


Com sua visão afunilada por raiva no Conde, ela partiria mais uma vez pra cima do mago, tentando roubar Ana dos seus braços a qualquer custo. Ela lutaria com todas as suas forças contra os "arremessos" do feiticeiro loiro, nem que tivesse que furar o chão com os seus braços pra se manter no lugar. Caso notasse a maldita barreira novamente, arrancaria um dos pilares que sustentam o telhado do museu para atingir a barreira até que ela se quebrasse.

________________________________________________________________________
FICHA FORÇA HEROICA:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://fabricadeherois.blogspot.com.br/
Arsenal

avatar

Mensagens : 517
Data de inscrição : 05/06/2012
Criador

MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   Sab Fev 27, 2016 2:42 pm

Instituto Arthur Andrade. Nova Capital, 29 de Julho, 2012.



Carlos vê uma rajada de energia cortando sua barreira como se fosse uma faca quente atravessando manteiga, para ele era como se esse momento durasse vários minutos até que fosse atingido no peito.

Por um segundo ele perde os sentidos, já caído no chão ele sente um pouco de gosto de sangue em sua boca, e olha para seu peito com um enorme ferimento na diagonal esvaindo uma enorme quantidade de sangue, apavorado, o rapaz sente seu coração acelerar e desmaiar.


--------------------------------------------------------------------------------

Hoje.

“Esse cara usa magia, não posso criar uma armadura ou algo do tipo pra proteger Tutuba, o tornaria apenas um alvo gigante, vou ter que dar outro jeito”.

Sabendo da enorme desvantagem que tinha com magia, Arsenal não poderia atacar nem se defender, então a única opção que conseguia pensar no momento era distrair o mago e torcer que de certo.

-Davi, Tutuba, cuidado com os olhos.

Um construto surge na mão de Carlos simulando a forma de um canhão de fogos de artifício azulado, e na outra mão um isqueiro no mesmo tom, acende e aponta na direção do mago. Seu objetivo é cega-lo com os fogos que estourarem perto dele.

________________________________________________________________________
FICHA FORÇA HEROICA:
 

#brancosfedemadanone


Última edição por Arsenal em Sab Fev 27, 2016 10:19 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   Sab Fev 27, 2016 6:37 pm

As imagens surgiram em sua mente de repente. O garoto começa a ficar zonzo, e não pode fazer nada para parar com aquilo. Imagens parecidas com seu sonho, mas com algumas partes diferentes, conectadas com imagens totalmente desconexas. Algumas imagens até mesmo lhe pareciam bastante familiares, mas Davi ainda não entendia como elas se ligavam, e o mais importante: por que estava tendo aquelas visões? Eram muitas perguntas e poucas respostas, e o momento não era propício para respondê-las

Ao se recompor, o garoto olha para o mago que estava a sua frente. Mais um deles. E assim como na Rússia, possuía um objeto mágico, sua principal fraqueza. Mas o garoto não pretendia se render e deixar o mal vencer. Ele respirou fundo, olhou para seus companheiros e se inspirou. Arsenal gritou ordens para os dois, e assim que o plano do companheiro fosse concluído, Espectro agiria.

Ele pretendia usar apenas suas habilidades de luta contra o mago. Desviando dos possíveis ataques com acrobacias e giros e usando seu bastão para tentar desarmar o homem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Impacto

avatar

Mensagens : 346
Data de inscrição : 03/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   Sab Fev 27, 2016 11:12 pm

Ao ver o Conde descendo as escadas com Ana desacordada em seus braços, toda a fúria que Diego vinha tentando controlar nos últimos tempos vem à tona. O medo de perder sua companheira de equipe se une ao medo que vinha sentindo de perder seu pai, fazendo com que toda essa raiva tomasse conta de seu corpo.

- Não perderemos ninguém hoje. Não iremos permitir que isso aconteça.

Os olhos e as mãos de Impacto começam a brilhar em um branco azulado. Neste momento, não tinha pretensão alguma em controlar sua fúria. Simplesmente a deixaria fluir, partindo com força total para cima do Conde. Caso o inimigo ainda esteja projetando sua barreira mágica, arremessará diversas esferas explosivas, até que a mesma se quebre, para então partir para cima do mago e tentar libertar Flor do Luar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Solar

avatar

Mensagens : 464
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Intermediário

MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   Dom Fev 28, 2016 9:07 pm

O Conde olhava para o rosto de Ana, em seus braços. Logo, olhava para os companheiros da moça. Ele ri. Parecia se divertir com toda aquela situação. O homem olha Nova, com raiva do que acontecera à sua companheira. Impacto ainda se mantém um pouco hesitante, mas parecia ter a mesma chama nos olhos que Nova. No entanto, não tão preocupados assim estavam Morfo e Iceberg que, assim que se levantaram, partiram juntos contra o inimigo. Iceberg criava um exoesqueleto em volta de seu corpo, enquanto Morfo transformava suas mãos em metal. O criocinético fazia um caminho de gelo à sua frente, deslizando em direção ao Conde. Morfo, por sua vez, dobra as pernas, pegando o impulso necessário, pulando em direção ao inimigo. Nova tenta impedir, em vão.

- Crianças... – O Conde murmura.

Iceberg cria uma espécie de luva, coberta com espinhos maciços de gelo. Ele ataca o oponente, em vão. A barreira repele o ataque. O Conde ri novamente, desta vez mais contido. Morfo golpeia a parede invisível diversas vezes. Seu cansaço era nítido, mas sua disposição transpassava qualquer limite.

- Você está me aborrecendo...

Trovões começam a ser ouvidos dentro do grande salão. O Conde solta Ana no chão, delicadamente. Seus olhos brilham, no entanto, não é o mesmo brilho claro que os olhos de Flor do Luar emitiam ao usar seus poderes. Era algo macabro, fora do comum. Os heróis pareciam sentir um pouco de medo no momento.

Um raio atinge o peito de Iceberg, quebrando toda aquela parte de seu exoesqueleto, sendo lançado longe. O cai no chão, desacordado, mas ainda respirando. Do peitoral de seu uniforme uma pequena fumaça emanava.

- Filho da...

Morfo começava a golpear com mais força a parede, não percebendo que seus esforços de nada adiantavam. O Conde suspira, erguendo sua mão direita logo em seguida. De repente, um pequeno tremor ocorre. Morfo se desequilibra, dando uma oportunidade para seu inimigo atacar. O vilão abaixa a barreira e, com um movimento, uma rajada de energia atinge Tiago em cheio. O rapaz rola pelo chão, sentindo fortes dores pelo corpo. O Conde estala os dedos, enquanto vira-se para a combalida Flor do Luar.

Diego, neste momento, cerra os punhos e começa a correr em direção ao inimigo. A energia passa pelo seu corpo, se concentrando em suas mãos.

- DIEGO! – Grita Nova, em vão.

Quando o vilão nota sua aproximação, o rapaz já salta sobre ele. Uma “chuva” de esferas de energia começa a cair. As dezenas de projéteis parecem grudar na barreira criada pelo inimigo. Diego “pousa”. O mago olha para o alto, no exato momento em que as esferas explodem.

Em outro local, Tubarão, Arsenal e um ainda confuso Espectro rodeiam o segundo mago. Mais sério e com um semblante bem mais rústico que seu companheiro, o vilão bate o cajado no chão, fazendo com que uma onda de energia transpasse o local. Tubarão se equipa com seu tridente, conseguindo segurar uma parte do poder. Arsenal cria uma barreira de energia, enquanto Espectro usa sua intangibilidade.

- Galera, distrai esse paunocu pra mim.

- Ok. – Dizia Espectro, transformando seu bastão em dois menores.

- Davi, Tutuba! Cuidado com os olhos!

Arsenal cria uma espécie de canhão. Ele dispara contra o mago, que ergue seu cajado. A esfera em sua ponta começa a brilhar. Entretanto, o plano de Arsenal não era atingir seu inimigo e sim cegá-lo momentaneamente. Os fogos começam a estourar na frente do mago, o que incomoda bastante seus olhos. Ele tem a visão embaçada pelo ataque, momento exato em que Espec se lança ao ataque. O rapaz golpeia o vilão diversas vezes, ficando hora intangível, hora invisível. Mas sempre desferindo ataques quando pode. Tubarão vêm logo em seguida, tentando fincar seu tridente contra o inimigo. No entanto, o mago se recompõe e se esquiva. Davi tenta golpeá-lo com os bastões, mas é parado pelo cajado. Uma onda de choque atinge o herói, que cai para trás. Arsenal vem logo em seguida, criando dois bastões de energia. Os dois se desferem golpes, não muito efetivos. Quando o mago consegue bloquear um golpe de Carlos, os bastões do segundo se transformam e uma arma. O herói lança uma rajada de energia desta, atingindo o oponente em cheio. No entanto, quando se reergue, o vilão bate com seu cajado no chão, lançando mais uma onda de choque, atingindo Carlos em cheio.

Por sua vez, Tubarão pula contra o inimigo. Os dois continuam o combate, sempre conseguindo desviar e bloquear os ataques um do outro. Ed parece bastante irritado, enquanto seu adversário possuía o mesmo semblante frio, sem expressão.

- Você pode ser forte e possuir uma arma poderosa, mas nunca conseguirá me vencer, garoto. Nós vamos mata-los. Um a um. E em seguida eu irei pessoalmente àquele lugar que você chama de casa e matarei todos aqueles peixes falantes que você chama de família. E vou fazer tudo isso na sua frente.

A esfera na ponta do cajado volta a brilhar, no entanto, o tridente de Ed consegue repelir a onda de energia. Davi surge por detrás do inimigo, golpeando-o com seu bastão, fazendo-o cambalear um pouco. Arsenal vem logo em seguida, utilizando mais uma vez o canhão que desnorteia a visão do mago. Quando este está prestes a contra-atacar, sente um gosto peculiar de sangue em sua boca. Este escorre pelos cantos de seus lábios, criando um pequeno rio de sangue em sua face. Tubarão havia apunhalado o inimigo pelas costas com seu tridente. Seu semblante era sério. Parecia estar com raiva, ódio daquilo que seu inimigo dissera momentos antes.

- Ed, você... – Davi olha o corpo do inimigo, horrorizado. Apesar dele ser o vilão e estar ali para matar seus companheiros, não ficava nem um pouco à vontade perto da morte.

- Fiz o que era necessário.

Diego se protege contra os golpes lançados pelo Conde. Nova avança, golpeando-o no rosto. O vilão cai no chão. No entanto, quando a moça iria lhe desferir uma joelhada, o corpo do inimigo desaparece. Ele surge do outro lado da sala, batendo palmas.

- Admiro a insistência de vocês, garotos. Mas acho que já está ficando tarde. Levarei meu prêmio.

Quando o feiticeiro tenta se aproximar de Ana, Nova surge, golpeando o chão. Uma fissura é criada, separando os dois. Ela olha para o inimigo com os olhos cerrados, com cara de poucos amigos. Ele, sereno, apenas retribui com um olhar debochado. A moça parte para cima do inimigo, sendo parada, mas não por uma barreira invisível, e sim por uma onda de choque, que agora a prendia.

- Esse nosso joguinho já está me cansando. Eu adoraria continuar a brincar com vocês, mas possuo compromissos mais urgentes no momento.

O Conde gesticula com sua mão esquerda. Nova parece sentir muita dor. Seu rosto começa a suar, seus olhos se fecham rudemente. Seus pés e mãos se contorcem. Ela tenta mexer a cabeça insistentemente, o que torna a cena angustiante. Impacto se carrega, indo em direção ao inimigo. Quando este usaria sua mão direita para subjugar o inimigo, é surpreendido por Maya.

- Spirite antice, ghidați mâna pe cei care depășesc pe nevinovați. Condu-mă în calea luminii pe care am risipi întunericul. Salva sufletul meu împotriva tot răul care mă va bântuie.

Impacto atinge o Conde em cheio, fazendo-o recuar um pouco. Ele se livra das amarras de Maya, mas ao mesmo tempo, livra Nova. O vilão atinge Impacto com uma rajada à queima roupa, fazendo o inimigo cair, se contorcendo de dor.

- BRUXA MALDITA! – Grita, usando seus poderes para prender Maya.

A moça tentar puxar ar, mas não consegue. O homem caminha vagarosamente, com um semblante que transparecia todo seu ódio no momento. Estava com tanta raiva que apertava sua mão, fazendo com que Maya sentisse mais dores.

- Você acha que você, a cadela da magia, poderia me deter? Você acha que esses seus amiguinhos da pré-escola poderiam sequer me machucar? Que seu tão querido conselho iria longe o suficiente para impedir o que está por vir? Vocês nunca conseguirão impedir a cabala. O seu grupinho de feiticeiros de terceiro escalão nunca vão me deter!

- Mas eu vou.

Nova o agarra pelo pescoço, forçando-o um pouco. Diego e Tiago olham o que estava prestes a acontecer, sem reação. Assim como Maya, que cai no chão, puxando todo o ar que pode. Ela tenta impedir Nova, em vão. Com um movimento rápido, ela quebra o pescoço do inimigo, que cai inerte no chão. A moça cai de joelhos no chão, ofegante. Todos ali pareciam cansados. Entretanto, o corpo do Conde começa a se contorcer. Algumas faíscas surgem pelo corpo do homem, que começa a passar por uma transmutação. Após alguns raios e uma cena de metamorfose um tanto inquietante, os membros acordados do grupo notam que aquele não era o inimigo que estavam combatendo. O corpo agora era de um homem totalmente diferente. Um homem um pouco mais baixo, de pele morena e com uma tatuagem vermelha no pescoço. Diversas runas reunidas em um formato de C. O mesmo acontecera com o mago que havia enfrentado Tubarão e os outros.

- O que aconteceu? Quem era esse cara, afinal? – Diz Impacto, levantando Arco.

Nova fazia o mesmo com Flor do Luar, enquanto Morfo ajudava Iceberg.

- É um feitiço de transmutação. Troca de corpos. Provavelmente enfrentávamos um lacaio do Conde desde o início.

- E o que é Cabala?

- Um nome que eu realmente esperava não ouvir mais.


Instituto Victoria Cardoso, sala de conferências, 23h46m:

- Então você quer me dizer que existe um grupo, tipo Illuminati, que controla toda a magia negra do mundo? Inacreditável. – Dizia Roberto, ainda se recompondo.

- Não é bem assim que eu diria.

- Bom, somos todos ouvidos, Maya. Pode continuar.

- Bom... Há centenas de anos atrás, um grupo havia sido criado, com o intuito de descobrir mais sobre a magia no planeta. Eles foram chamados de A Ordem. O Conselho Primordial, da qual eu faço parte, é um desdobramento dessa ordem. No entanto, um dos membros dessa ordem se virou contra seus companheiros. Ele era o que mais entendia sobre magia. Tinha um dom natural para controla-la, mas ficou louco. Ele virou um demônio imparável. Adotou o nome de Nasgaroth. O restante da Ordem conseguiu detê-lo, com muito custo. No entanto, muitos dos membros debandaram do mundo da magia, sobrando apenas alguns, que fundaram o Conselho Primordial. Um outro grupo, dos seguidores de Nasgaroth, fundaram a Cabala, com o intuito de continuar seu legado, mas sumiram no mundo logo depois.

- Você quer dizer que essa tal de Cabala voltou?

- Eu temo que sim. Desde o retorno do Conde, o equilíbrio da magia tem pendido para o lado do caos. Muitos objetos místicos de grande poder têm sumido pelo planeta. Mas acho que hoje a Cabala não está só interessada em magia...

- E isso quer dizer...

- Quer dizer que a magia só é forte quando se acredita firmemente nela. Hoje ela volta à tona porque vários eventos mágicos de pequeno porte fizeram com que as pessoas acreditassem nisso novamente. O Conde “renasceu” por isso. E ele não medirá esforços para conseguir o que ele quer.

- Que seria?

- Acabar com o Conselho e tomar as rédeas da magia no mundo.

- Por que ele é tão fascinado assim pelo seu conselho?

- Porque o líder de nosso grupo, o Grão-Mestre do Conselho Primordial, foi seu mestre. O Conde fora banido de nosso grupo por ter pensamentos muito semelhantes aos de Nasgaroth.

- É por isso que ele está atrás da Ana? Para ser uma fonte de poder?

- O motivo da senhorita Muller ser o centro das atenções do Conde ainda são nebulosos. Precisarei voltar à Romênia, lar do meu conselho, para descobrir mais sobre o que está acontecendo. Mandarei notícias assim que possível.

Quando Maya sai pela porta do salão, os demais se encaram, apreensivos.


Algum lugar da cidade, 0h03m:

Os homens descarregam o caminhão. A Safira estava dentro de um contêiner de médio porte, bastante protegido. Em uma mesa estavam quatro pessoas sentadas. Na direita estavam Rémy Le Havre, o homem que atacara o grupo junto do Conde, além de Eva, nova líder dos Gárgulas. No lado esquerdo estavam Krich, que havia com os membros do Força Heroica na República Independente da Kasalya e um homem, de capuz e manta verde escuras. O Conde adentra a sala, com uma túnica, recheada de runas nos detalhes das mangas e do dorso. Ele olha, enquanto seus lacaios descobrem a safira da família Argo.

- Linda, não é?

- Lindo será o que faremos com ela quando completarmos todas as partes.

- Acalme-se, senhor Krichowyak. Tudo está andando conforme o plano.

- Não me peça calma, Conde! Não foi você que teve de morrer de novo para conseguir a Lança.

- Não se preocupe, meu nobre polonês. Seus esforços serão muito bem recompensados. E muito em breve.

- E o que faremos com a Força Heroica? Eles quase atrapalharam seus planos de novo.

- A senhorita Muller ainda não está preparada para o que está por vir. Mas já plantei minha semente em sua mente. – Diz, soltando um sorriso malicioso.

- O que me preocupa é o garoto. – Diz Le Havre, com sua voz grave e impaciente.

- Tem certeza que é ele?

- Absoluta. Mesmo que ele não saiba, está mais ligado a isso do que todos os outros. Isso será um problema.

- Não se pudermos evitar. – O Conde vira-se para o homem de vestes verdes. – Nekron?

- Será feito, senhor.

- Quanto ao resto da Força Heroica, nossos demais associados darão um jeito nisso. – Ele ergue sua mão para a joia.

Logo, ela começa a se partir. Toda sua superfície racha, revelando uma pedra brilhante dentro dela. O Conde fecha os olhos, sentindo todo poder emanando de dentro da pedra. Ele respira fundo e diz:

- Tudo que a família Argo fez para impedir que a Pedra Filosofal fosse descoberta foi em vão. Agora só restam 3...[/b][/color][/b][/color]

________________________________________________________________________
FICHA FORÇA HEROICA:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: T03E09 - Revelações   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
T03E09 - Revelações
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» Corujas Sem Asas |Ep. 1x13 - (ESPECIAL) A Grande Revelação
» Salamandra/ 30° Capítulo- Mônica faz revelações ao Padre Ottero, Roberta frente a frente com Romano!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
fabricadeherois :: Força Heroica :: 3ª Temporada-
Ir para: