InícioRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Lótus e Lince

avatar

Mensagens : 296
Data de inscrição : 06/06/2012
Aluno Avançado

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Dom Jul 05, 2015 5:04 pm

Sempre que uma explosão eclodia na tela os olhos de Sofia e Laura brilhavam com um divertimento luminoso e pueril. Estavam, junto de Diego, assistindo "Mad Maxwell, Rodovia da Fúria" e enchendo suas bocas de pipoca da mesma forma que um esquilo faz com suas nozes.

- TESTEMUNHEEEEEM!!! - Gritava um dos Kamicrazys enquanto se lançava para a morte certa.

- Que estranho esses caras se jogarem sabendo que vão morrer por uma causa que julgam ser justa. - Disse Laura para a irmã, sem tirar os olhos da tela e sem parar de enfiar pipoca na boca - Bizarro.

Sofia não respondeu. Continuou assistindo com divertimento estampado no rosto e uma excitação tão grande pelos carros malucos que sempre beirava o choro quando um deles explodia em mil pedaços. Diego havia preferido aproveitar o escurinho do cinema para investir sutilmente em Laura, tentando seduzí-la com toques e pequenos truques que sempre davam certo em filmes de adolescentes.

- "Merda, Sofia! Como tu pode ser tão empata foda desse jeito?" - Pensou ele, apoiando a cabeça no encosto da poltrona e fitando fixamente o teto escuro - "Se eu convidei a sua irmã era porque eu tinha planos de curtir sozinho com ela. Arghhhhhhhhhh que ódio! Filha da puta."

- Diego, vai lá comprar mais pipoca? A nossa acabou. - Pediu Sofia enquanto virava para baixo a embalagem vazia, despejando no chão farelos e cascas de pipoca.

- Não, vai você! Tu veio de intrusa, não vou ficar de escravinho de ninguém. - Franziu o cenho e virou-se para Laura, tentando buscar algum apoio nela - Né verdade, Laur--

Para infelicidade dele e dos que estavam perto, nesse momento os celulares das gêmeas tocaram com um toque estridente em meio aos sons infindáveis de motores, gritos e explosões. Dois pequenos coelhos surgiram na tela de cada aparelho e começaram a saltar pelos bancos e cabeças, chocando-se contra algum obstáculo que a câmera mal conseguia reconhecer por conta da escuridão na sala de cinema. Eles saltaram para a tela e observaram com estranha curiosidade, mas foram assustados pelo som elétrico de uma guitarra que arremessava fogo em jatos ao céu. Pularam para o corredor infestados de pequenas luzes-guia e sumiram ao cruzar as portas.

- Segue ele. - Disseram as irmãs ao mesmo tempo, levantando logo em seguida e passando na frente das outras pessoas enquanto pediam sinceras desculpas no meio de raivosas reclamações.

Saíram da sala apontando os celulares pra diversas direções igual duas idiotas, procurando e se perguntando onde diabos os coelhos tinham se metido. Encontraram os malditos correndo na direção do banheiro masculino, mas antes de chegarem até lá viram os dois se transformarem em um homem vestido de coelho, que saiu da porta enquanto puxava para cima o zíper da calça.

- Mas que porra... - Começou Sofia, mas sua frase foi interrompida pela voz modulada do Coelhomem, que as instruiu rapidamente sobre seu plano maléfico.

Diego chegou logo atrás das duas retirando pipocas do cabelo que foram arremessadas nele pelos que assistiam ao filme durante sua saída da sala de cinema. Laura tinha uma feição preocupada no rosto e olhava fixamente para o celular. Sofia, por sua vez, mostrava um sorriso de orelha a orelha enquanto tocava delirantemente um botão vermelho na tela. Ao se aproximar, apontaram o celular na cara do rapaz e ele viu somente um conjunto aparentemente aleatório de 0 e 1.

- Traduz. Rápido. - Ordenaram simultaneamente.

- Que? Ah tá, binário. Entendi. Ok. - Ele sacou o celular, escaneou a tela do celular de Laura com um aplicativo de reconhecimento de texto, copiou e traduziu em algum site de conversão online.

Ele mostrou a tela para elas, revelando um enigma que Laura desvendou em poucos segundos. Sofia não entendeu bem do que se tratava, então simplesmente deu de ombros e perguntou a resposta. Ela respondeu com tom de urgência e ambas saíram correndo, deixando Diego parado como a estátua de um homem que não entendeu absolutamente nada do que acabara de ocorrer ali.

"Eu desisto." - Concluiu em pensamento, enfiando as mãos nos bolsos e andando vagarosamente de volta para a sala de cinema.

________________________________________________________________________
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Impacto

avatar

Mensagens : 346
Data de inscrição : 03/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Dom Jul 05, 2015 7:47 pm

Néon, com seu traje de vigilante, observava o centro de Nova Capital de cima de um prédio de poucos andares. Em suas mãos, segurava seu iPhone, onde conversava com seu mais recente “rolo”.

"Vamos lá… Sexta à noite, cara. Cadê a ação? Me recuso a encontrar a Sara antes de chutar alguém"-  Pensava, dividindo sua atenção entre as ruas e seu celular, enquanto tudo era visto em câmera lenta.

Durante uma rápida olhada em um potencial bandido saindo de um beco, Arthur nota seu smartphone vibrar mais uma vez. Para sua surpresa, porém, não era mais uma série de mensagens de Sara, mas um estranho vídeo que se reproduziu automaticamente.

- Mas que porra? Isso é… Hahaha… Alice? Que loucura, cara. - Ria, enquanto andava e movia seu aparelho de um lado para o outro, acompanhando a movimentação do coelho. - Eita! - Assustou-se, com a mudança de forma do animal.

Quando o Coelho Branco enfim terminou de falar, Néon aproveitou os 52 segundos dados - que se passaram como minutos - para tomar sua decisão. Havia marcado com a garota, mas vidas corriam risco. Além disso, ele tinha um desafio em suas mãos. Como recusar? Esperou o relógio marcar o exato momento em que o tempo acabaria, numa tentativa de não demonstrar muito interesse na missão e apertou o botão vermelho tão rápido quanto uma bala, decidido a resolver o mistério.

Então, recebeu a última mensagem. Resolver não foi uma tarefa difícil. Sabendo do que se tratava, pois estava cansado de ver aquela linguagem em filmes, Arthur simplesmente copiou o texto e o jogou no primeiro tradutor que encontrou no google, dando um fim ao suspense.

- Vamo lá, orelhudo, não desperdice minha noitada...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Padroeira

avatar

Mensagens : 58
Data de inscrição : 19/07/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Seg Jul 06, 2015 7:52 pm

Maria estava em seu quarto redigindo uma prova que aplicaria na semana seguinte. Deitada na cama com seu notebook no colo, ela aproveitava para usar esse tempo para responder dúvidas de alunos no Facebook, agradecer elogios de parentes que há muito não via, além de dar suas opiniões em publicações anti-heróis. Se sentia muito mais livre na rede quando Valac não estava na sua casa para incomodá-la.

"No mito da caverna, Platão pretende desc..." ela escrevia, quando foi interrompida pelo toque de seu celular. As notas da introdução de uma das músicas do famoso Padre Roberto preencheram o silêncio de seu quarto, e Maria foi correndo pegar o aparelho na escrivaninha. Arrastou o círculo verde do lado esquerdo para o lado direito da tela e atendeu a chamada. Quando foi colocar o telefone contra a orelha, percebeu que aquilo era um vídeo. "Siga o coelho branco. Deve ser uma daquelas correntes para animar o dia das pessoas. Será que isso anima mesmo?", pensou, revirando os olhos. A contragosto, começou a prestar atenção no coelhinho que pulava em seu celular e corria por sua casa. Maria o seguiu, até que ele parou entre a parede da sua sala de estar e corredor.

Curiosa, Maria foi até o bicho, ignorando totalmente o que acontecia ao seu redor, a câmera de seu celular era seus olhos. Virando a "esquina", ela quase caiu no chão por causa do susto que o homem mascarado lhe causou. Sua voz modulada era assustadora no início, mas por alguma razão, ela se acostumou rapidamente.

O Coelho fez uma proposta a ela e, aparentemente, outros heróis. Consistia em impedir que uma bomba fosse detonada em algumas partes da cidade. "Psicopata", pensou. Decidiu aceitar participar do "jogo". Era bastante perfeccionista e tinha medo de que alguma coisa desse errado caso não participasse daquilo. Clicou no botão vermelho em sua tela, ouvindo uma risada de resposta. Exatamente as 19h, a tela de seu celular se apagou, vibrando logo em seguida e tocando a mesma canção de alguns minutos atrás.

Maria foi surpreendida pela imensa quantidade de 0 e 1 em seu celular, mas conseguiu perceber facilmente que aquela era uma mensagem em código binário. Correu de volta para seu notebook, chamando todos os professores de matemática com quem tinha contato. Apenas um respondeu de imediato, Luiz, um professor recém-formado que compartilhava os mesmos pensamentos que ela em relação aos heróis de Nova Capital.

"Luiz, vc sabe binário?"

"Ih, Maria, sei não. Mas tem um site aqui que traduz, vou ver se acho, pera aí."

"Ok."

"Tá na mão! >Link< Tá paquerando o professor de programação da escola técnica, é? rsrs"

"Obrigada. Não, kk, preciso resolver umas coisinhas aqui... Beijos, te vejo na escola."

A tradução foi quase automática, e tão rápido quanto, foi a resolução do enigma. Por alguns motivos, Maria se lembrava muito bem do local. Tocou seu crucifixo, ativando seus poderes e uniforme. Repassando uma estratégia, utilizando conhecimentos de alguns treinamentos providos pelo Sindicato, ela voou pela janela, indo a seu destino.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Terremoto.

avatar

Mensagens : 178
Data de inscrição : 26/07/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Seg Jul 06, 2015 8:46 pm

O carro da a ré parando na vaga na parte traseira do prédio, sentado no banco do motorista Gilberto olha para o jovem no banco do carona, sujo e machucado Wallace mantinha o rosto fechado desde que o idoso o havia parado na lojinha da esquina.

-Eu só quero saber o porque.
-Você não tem que saber de nada, me deixa.

O garoto tenta abrir a porta apenas para confirmar que ela estava trancada.

-Wallace, você tem duas opções. Ou você me diz por que tava roubando a loja ou eu te levo direto pra delegacia, você escolhe.

O garoto abaixa a cabeça, obviamente estava envergonhado.
--

Terremoto calculava seu próximo passo enquanto o jovem abria a porta do apartamento, o braço do herói doía mas por sorte o tiro vindo da arma de um dos comparsas de Wallace fora de raspão. Dever dinheiro ao tráfico era algo sério em uma cidade repleta de heróis e vilões, se tudo que o garoto havia lhe dito sobre a suposta “Metagangue” fosse real ele sabia que a cidade poderia ruir em caos a qualquer momento.

-Encosta no sofá, eu vou pegar as coisas da minha mãe pra limpar o ferimento.

O garoto não era habilidoso com a agulha, mas tendo passado 6 meses no meio da floresta Amazônica o herói já havia passado pela mão de médicos piores.

-Eu juro que não sabia que as armas tavam carregadas, eles me falaram que era só pra ameaçar os clientes. Porque você foi se meter também? Ninguém ia se machucar e minha dívida ia ta paga.
-Não é assim que as coisas funcionam com esse tipo de marginal. O que te garante que depois de pegar o dinheiro eles não iam matar todo mundo na loja? Que não te dar um tiro e fugir com a sua parte?
-...Só não conta pra minha mãe, beleza? Ela já não gosta da Laís, se souber que a mina usa Crystal eu vou ser expulso de casa.
-Devia ter pensado nisso antes de se envolver com isso então. Eu vou a banheiro e vou pensar no que fazer.

O herói lava o rosto e se olhava no reflexo, uma clássica cena de filme, havia se distraído e por sorte não havia levado um tiro em cheio. Ele ouviu o som de mensagem vindo do celular enquanto secava o rosto, O Sindicato precisava ser informado quanto antes sobre essa nova ameaça.

-Aí seu Gilberto, qual é a do jogo do coelhinho?

O garoto disse rindo enquanto olhava pra tela do celular do herói. Que jogo do coelhinho? O herói usava o celular muito mal pra fazer ligações, quem dirá para baixar jogos.

Ele tirou o aparelho da mão do jovem enquanto observava o pequeno animal sair pela porta e descer as escadas, Terremoto não era dos mais ligados a tecnologia mas sabia que seu celular de quase 5 anos não possuía capacidade para aquilo.

Quando o animal chegou ao andar inferior ele virou no corredor e sumiu por alguns instantes, os vizinhos desceram as escadas com Terremoto bem a frente segurando o celular, quando ele o ergueu novamente viu a figura surgir do intenso brilho, imediatamente ele mandou que o garoto parasse ali mesmo no alto da escada. Algo realmente estava acontecendo.

O som baixo tornava difícil até para que o herói ouvisse com perfeição, mas quando os botões surgiram ele imediatamente selecionou o vermelho. Logo em seguida os números surgiram, Terremoto os conhecia mas não era capaz de decifrar com clareza, ele correu até o apartamento superior passando por um Wallace aturdido com todo aquele mistério e que perguntava incessantemente o que havia ocorrido, pegando um papel e caneta ele começou a escrever frases sem sentido, até que o vizinho, olhando o celular, lhe entregou a resposta.

-Pronto, é isso aqui. Agora você vai me falar o que ta rolando?
-Não posso, mas se você ficar quieto sobre isso eu também não conto nada pra sua mãe sobre o assalto.

Os dois concordaram em silêncio, Terremoto correu para o estacionamento. Sabia onde tinha que ir o tempo não era dos mais favoráveis.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Seg Jul 06, 2015 11:55 pm

Resolução




Jardim da Redenção
20h40


Viajante chegou com larga vantagem de tempo no local onde antes era a famosa Casa do Pecado, que agora se reerguia num amplo prédio . Logo em seguida Atômica, Ímã, Sentinela. Néon foi o último a chegar, mesmo com sua super-velocidade. Outros heróis da cidade até mesmo tentaram descobrir o código ou já estavam a caminho do local, resposta da primeira e facílima charada, mas que já não poderiam mais participar do jogo. O destino de Jardim da Redenção estava nas mãos daqueles cinco vigilantes.

- Certo, eu achei que tava ficando louca. Agora eu tenho certeza. – Ímã comentou

- Então amiguinhos, eu já revirei o lote todo e tem uma coisa que vocês precisam ver, hehe. – Viajante disse animado.

O alienígena levou os demais heróis até uma parede que estava sendo erguida próximo dali.

“Siga o Coelho Branco”

A pixação indicava que os heróis estavam no lugar certo.

“Só abrir quando o quinteto se reunir”

Dizia uma frase menor, e logo abaixo uma seta apontando para uma mochila.

- Será que é a bomba? – Perguntou Sentinela

- Eram cinco delas espertão. – Néon retrucou.

- Quietos meninos, vamos ver. – Atômica, a mais velha e mais experiente entre os jovens vigilantes tomou a dianteira.

A heroína abriu a mochila, mas nenhuma bomba estava ali dentro. Encontraram cinco fones bluetooth, cinco alicates e um mapa, circulado em cinco locais diferentes no bairro Jardim da Redenção. Cada herói pegou um alicate e colocou um dos fones em seus ouvidos, que se conectaram automaticamente com algum dispositivo, que não era os smartphones pessoais.

- Parabéns, vejo que conseguiram descobrir a primeira charada, mas também, tão simples não? Bom, vejo também que já estão usando as lembrancinhas que eu dei pra vocês. O fones serão agora o nosso meio de comunicação, e de vocês também. E ganharam também um alicate. Para que mais o alicate, não? Hahaha. Para concluir a primeira fase, basta seguirem até os locais indicados no mapa e cortarem o fio vermelho das bombas, ao mesmo tempo. – A voz modulada do homem pode ser ouvida simultaneamente nos cinco fones.

Os heróis se entreolharam, desconfiados.

- O que que há velhinhos? Não confiam em mim ainda? Eu estou ajudando vocês.

Entreolharam-se novamente, mas dessa vez decidiram obedecer as ordens do Coelho Branco. Correram cada um em uma direção, e em poucos minutos chegaram aos locais demarcados, e em cada local um guarda-chuvas aberto protegia dispositivo tubular, com um emaranhado de fios no fundo de cada um. Era possível ver um contador, que restava apenas pouco mais de dez segundos para terminar.

- Prontos? – Disse Atômica.

- 3

- 2

- 1 – Disseram em uníssono.

Os cinco heroís enfiaram as mãos dentro dos dispositivos, cortaram os fios vermelhos ao mesmo tempo e algo inesperado aconteceu. Ao invés do contador parar, ou até mesmo da bomba explodir, o dispositivo tubular se fechou em seus punhos e pouco depois se desacoplou, deixando apenas uma pulseira tecnológica impossível de tirar. A voz em seus ouvidos surgiu novamente, os deixando ainda mais desconfortáveis.

- “Pelo poder da verdade, eu, enquanto vivo, conquistei o universo”. Ou na forma original “Vi veri veniversum vivus vici” – Recitou o organizador. - Bom, eu não quero conquistar o universo, então não tem problema mentir, hahaha. Bem, as bombas não são para explodir o Jardim da Redenção, eu adoro esse lugar. Essas bombas são para explodir vocês, mas somente se desistirem do meu jogo. Pois bem, com essas pulseirinhas eu sei exatamente a localização de cada um, e se no caminho para cada nova fase, vocês se ajudarem, elas explodem. Vocês receberam um alerta de proximidade, não se preocupem, terão uma chance de fugir um do outro. Só existem algumas zonas neutras, onde vocês podem se reunir, que é o local de cada fase. E caso tentem tirar a pulseira, elas também explodem, as cinco. Vocês vão perceber que vão amar mais essas pulseiras do que odiá-las. – Disse animado, enquanto os heróis continuavam apreenssivos.

- Prontos para a próxima fase?

__________________

Viajante, Atômica, Ímã, Sentinela e Néon ganham 4xp.


Última edição por Fera em Ter Jul 07, 2015 12:34 am, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Seg Jul 06, 2015 11:58 pm

Siga o Coelho Branco – Parte 2: Quarteto Fantástico.





Começava a tocar uma música instrumental de uma famosa banda de thrash metal nos fones, e duraria durante os minutos em que ele se pronunciaria aos heróis.

- Vocês sabem da teoria dos quatro elementos certo? Terra, fogo, água e ar. Os quatro elementos fundamentais que constituem toda a matéria. Vocês conhecem também o quinto elemento? O éter, chamado quintessência, sempre foi esquecido, coitado. Enfim, voltando ao desafio. Pra ser mais direto vocês devem salvar 4 pessoas do meu quarteto fantástico. Vocês salvaram um bairro inteiro, isso será tranquilo. Vejam bem, ao chegarem no ponto de encontro, cada um será direcionado para um outro local até encontrarem as vítimas, do mesmo modo que ocorreu aqui. A primeira prestes a ter enterrada viva, a segunda asfixiada, a terceira afogada e a quarta e última, prestes a ser queimada. Na minha opinião essa última é a pior, a mais agonizante.. credo, até arrepiei. Mas, para deixar as coisas mais interessantes, vocês só saberão quem irão salvar quando enfim encontrarem suas donzelas em perigo, até lá, já comecem a pensar em todas as estratégias, hehehe.

- Os cinco saírão do Jardim da Redenção, mas apenas quatro chegarão ao destino dessa fase. O quinto jogador será eliminado, ele será nossa quintessência.

- Veja bem, a dica que darei agora será pouco mais complicada de descriptografar, mas ainda fácil para quem entende do assunto. Vocês tem até as 23h para chegar no local.

A voz se calou, juntamente com a música. Logo após uma mensagem de texto apareceu numa tela presente nas pulseiras.

IZFX WJQNVZNFX LWJLFX: T  LNLFSYJ HFHFITW J F HFXF IT XFGJW

__________________

Objetivos:

-Descobrir a pista e ir para o local de encontro para enfrentar os quatro elementos:
4xp

Observações:
 

Promoção "Segunda Chance":
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Iceberg

avatar

Mensagens : 701
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Ter Jul 07, 2015 4:25 pm

Enquanto o Coelho terminava de dar as instruções, Koo’Hun se irritava com a pulseira.

- Olha, Perna Longa, eu não quero parecer ingrato, mas eu não sou o Ben 10!! - Falava enquanto mordia a pulseira tentando arrancar ela fora, até então em vão. De repente uma luz brilha na tela do “acessorio” com varias letras que formavam um nada.

- A, droga!!! - Viajante rapidamente estica a mão o mais longe do corpo enquanto tampava o rosto com o outro braço, esperando a explosão arrancar seu braço fora. Porém, nada acontece. vagarosamente ele vai abaixando as mãos, tentando observar a pulseira.

- A, é só a pista. - Dizia aliviado, relaxando os musculos e dando um longo suspiro.
 
Ele observa o visor por alguns segundos, tentando decifrar aquela mensagem, sem sucesso.

- Okey, vou me concentrar. - Por mais 15 segundos ele encarou o relogio, sentado na sarjeta ao lado da sua moto. - Ok, estressei demais, preciso relaxar. - Ele munta na moto e segue para o bar “Passo Torto” a algumas quadras de sua localização.

Passo Torto era um bar onde super-seres com problemas pessoais se juntavam para beber sem serem julgados ou apedrejados. A maioria ja se conhecia dali mesmo, e sempre se divertiam e brigavam, porém, todos os problemas começados ali, continuavam ali. Eles respeitavam as regras e tradições do bar, sempre mantendo o ambiente familia, com alegrias e desentendimentos. Afinal, o laço que eles tinham ali, para muitos era o mais proximo de “familia” que eles chegariam…

O Alien passa pela porta e o local esta do jeito que ele esperava em uma sexta feira a noite, lotado. O salão era amplo, e com a decoração semelhante aos bares do velho oeste, o local inteiro era feito em aço, desde paredes até as cadeiras, salvo apenas os copos e garrafas. As paredes pareciam feitas de madeira, mas era apenas os colantes, assim como tudo ali que não tinha a cor “cinza cromada”. As mesas e cadeiras se assemelhavam a mesas de piquenique, semelhante ao salão comunal de Hogwarts.

Vigilante atravessa o salão se esquivando dos bebados e das enxurradas de cerveja que escapavam dos copos. Ninguém se espantou com a presença do alien ali, todos ja suavam alcool. Ele senta no banco do balcão que se encontrava entre um ser peludo que coçava o rosto com os pés, e um homem tão branco que era quase transparente.

- Eu quero a da noite. - Pedia Viajante para o homem de quatro braços que se encontrava do outro lado do balcão, que segundos depois trouxe um copo de 500ml com cerveja. Koo’Hun toma toda a cerveja com um unico e longo gole, e levanta o dedo, pedindo outra.

Meia hora depois ele sai do bar, revigorado mentalmente, pronto para decodificar a frase. Ele sentou na sua moto e ficou observando a pulseira, imaginando como seria mais pratico se ele conseguisse compactar o seu uniforme alien em algo daquele tamanho, até se simpatizou com o acessório explosivo.

“ Vocês tem até as 23h”

A vóz do Coelho ecoou em sua mente, e ele lembrou que seu tempo era limitado. Pegou se celular para auxilialo, e em alguns minutos ja tinha a resposta e o local.

- Não foi tão dificil. - Ele se ajeita na moto, liga ele e parte rumo ao seu destino.

- Ainda vou te dar um nome…[/b]

________________________________________________________________________
- Ooooooh! O Garra!


- Pegue o meu Melhor angulo, que tal uma foto de Perfil ?

Código:
[color=#663399] #663399 [/color]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Tubarão

avatar

Mensagens : 345
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Ter Jul 07, 2015 9:33 pm

O coração de Katya pulsava acelerado ,estava com medo , apreensiva enquanto olhava a pulseira em seu braço e ouvia as instruções do dono desse jogo psicótico.

Normalmente enfrentava situações de extremo perigo, e ainda assim se mantinha firme, mas dessa vez era uma ameaça diferente, uma ameaça  psicológica.  

Atômica que podia parar um caminhão com as próprias mãos, explodir uma porta de aço com sua energia, ou mesmo voar de um canto a outro da cidade  num piscar de olhos, se sentia intimidada com as ameaças daquele Coelho louco.
Terror psicológico é uma arma poderosíssima nas mãos de quem sabe como usar. E ele sabia!

Obrigada a se afastar dos demais, ela voa o mais alto que pôde. Lá de cima ela via sua cidade em miniatura, tudo parecia tão calmo e tão frágil visto daquela altura, por alguns minutos ela apenas apreciava sua vista, parecia uma cidade sem problemas... Infelizmente só aparências, rapidamente ela retoma sua atenção ao “jogo do coelho” .

A moça pensa bem, respira fundo enquanto prepara seu corpo para absorver a energia do impacto da explosão.
Katya se recusava a continuar a brincadeira desse maníaco. Ela então tenta arrancar a pulseira de seu braço, mas não consegue.

Por alguns instantes ela tenta entender, talvez fosse mesmo uma situação que exigisse inteligência e não somente força bruta...

Vejamos...  

IZFX WJQNVZNFX LWJLFX: T  LNLFSYJ HFHFITW J F HFXF IT XFGJW

Ela volta a analisar as letras que apareciam na tela da pulseira até que finalmente entende o padrão. Rapidamente a cientista monta a frase. Porém dessa vez não parecia tão fácil como a anterior...

Ela pensa por alguns minutos, ou talvez horas enquanto voava lentamente pela cidade, tentando achar uma ligação entre o enigma e algum possível lugar. Até que finalmente consegue fazer uma associação.

Será?... Espero que seja, conheço bem o lugar, facilitará as coisas para mim...

________________________________________________________________________
FICHA Força Heroica:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Canário

avatar

Mensagens : 590
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Intermediário

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Ter Jul 07, 2015 11:27 pm

A pulseira havia se fechado no braço de Ricardo num susto, e o som da banda de trash metal tocava alto nos fones de ouvido que Sentinela havia recebido.

-- Esse cara é mais louco do que eu esperava, chega a ser doentio até demais... -- virou o pulso para si quando a música parou de tocar e o coelhão parou de blá blá blá. Visualizou o código: IZFX WJQNVZNFX LWJLFX: T  LNLFSYJ HFHFITW J F HFXF IT XFGJW

-- Beleza, vamos ver dois meses do meu treinamento na P.E.G.A.S.U.S. só pra criptografia tenham servido pra alguma coisa. -- entrou no mesmo sedan preto no qual havia chego ali no Jardim da Redenção. Ricardo já não levava nada naquele jogo como uma brincadeira, sempre havia realizado seu trabalho de agente com seriedade apesar do bom humor na maioria dos dias.

-- Cadê a Laurinha pra me dar uma mão agora... Vamos lá, os padrões, os padrões... -- o gadget era  semelhante à prancheta virtual que vira Atômica ou Dr. Kronski usando no laboratório do Sindicato. Sentado no banco do carro, retirou seus visores onde ninguém veria sua identidade com o insulfilme do veículo, chegando a suar frio, apoiou o aparelho no volante do carro. Sentinela rabiscava e apagava tentativas de encontrar o enigma, embora aquele não fosse o forte dele, depois de algum tempo havia encontrado uma resposta.

-- Nunca mais reclamo daquelas aulas...

Vestiu novamente seu visor tecnológico, que mostrava as coordenadas como um GPS, no local que havia acabado de estabelecer após matar a charada, ou ao menos ele esperava.

-- Vamos lá, me coloque na direção certa.

O herói jogou o gadget de lado no banco do passageiro, abaixou o freio de mão e pisou fundo cantando pneu para chegar ao local antes das onze horas marcadas pelo Coelho Branco.

________________________________________________________________________

FICHA FHVERSO:
 

-  Justiça? Que bela palavra.

"O patriotismo é o ovo das guerras."  
 
(Guy de Maupassant)


Última edição por Sentinela em Qua Jul 08, 2015 12:16 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ímã

avatar

Mensagens : 34
Data de inscrição : 15/04/2015
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 08, 2015 11:54 am

Dani suava frio, seus batimentos eram acelerados. Não sabia como os outros estavam, pois permanecia de olhos fechados, esperando o inevitável, esperando a explosão que a levaria, junto de seus companheiros. No entanto, o que ela vira foi uma espécie de pulseira. Seus batimentos começaram a desacelerar, e seu suspiro de alívio fora ouvido até por quem ali não estava.

- Finalmente eu posso... – No entanto, suas palavras são interrompidas pelo “coelho”.

Ele explica sobre a próxima fase de seu plano. Logo, a tal pulseira acoplada ao braço da moça começa a mostrar uma mensagem, uma espécie de código. Ela oha atentamente por alguns minutos, tentando descobrir o que era aquilo.

- Há! – Grita a moça, parecendo descobrir o que estava escrito. - Não sei como demorei tanto pra descobrir dessa vez... Fácil fácil... – Diz, alçando vôo.

No entanto, ela para nos céus, passando a mão levemente no rosto, fechando os olhos logo em seguida. A heroína sussurra algumas palavras, fechando os olhos e se concentrando logo em seguida.

- Claro! – Exclama, socando a mão esquerda na palma da mão direita. – Só espero que eu esteja certa. #Partiu.

A moça voa em alguma direção, a toda velocidade, a fim de descobrir o próximo mistério dessa missão maluca.

________________________________________________________________________
Ficha FHverso:
 


Código:
 


Dá uma olhada lá no meu Perfil!
Obs: Não comento sobre minha vida pessoal, isso não é um blog, bitch!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Impacto

avatar

Mensagens : 346
Data de inscrição : 03/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 08, 2015 3:19 pm

“Caaaara, eu posso jurar que parei de usar aquelas paradas. Será que to tendo um flashback?” - Pensava, enquanto encarava o Coelho Branco, que os dava as instruções do novo desafio.

Arthur se preocupa com a pulseira em seu braço. A adrenalina do momento corria em suas veias, sentia seu coração bater rapidamente, enquanto tudo a sua volta começava a desacelerar. Aquela bomba poderia se detonar a qualquer momento.

“Se isso explodir, será que eu consigo tirar a tempo? Será que eu consigo? E se… E se eu levar alguém comigo? Não…” - Sua mente era preenchida, a cada microssegundo, por uma pergunta nova.

A nova mensagem, então, aparece no visor do dispositivo. Era aquele o choque de realidade que Arthur precisava para voltar a si, retornando sua atenção para o jogo psicótico do coelho.

- Bom, seus rola bosta. Um de vocês vai fracassar igual a mãe de vocês na hora do parto, eu to de boa. De qualquer forma, pra você eu guardo um lugar, milf. - Disse, sorrindo para Atômica.

Diferente dos outros, o velocista não tinha conhecimento algum sobre criptografia. Não fazia a mínima ideia do que estava fazendo, e aparentemente, dessa vez não teria o Google pra salvar o dia. Por sorte, porém, Néon dispunha de tempo. Ele poderia gastar algumas horas tentando decifrar aquilo, que para os outros teria se passado apenas alguns minutos.

E assim o fez. Com o celular em mãos e o código anotado, passou os próximos dez minutos decifrando a charada.

- Easy peasy, arrombado. - Finaliza, partindo em alta velocidade para o local.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 08, 2015 8:13 pm

Resolução



Jardim da Redenção
21h00


Quatro dos cinco heróis refletem nas letras desordenadas que aparecia na tela daquela pulseira tecnológica, exceto Koo’hun, que confuso com aquela mensagem prefere ir para o “Passo Torto”, um bar para super-seres, para espairecer e estar pronto de volta para o jogo.

Sentinela entra em seu sedan preto, e sem distrações rapidamente se lembra das aulas de criptografia, que o ajudou a ser o primeiro a desvendar o segredo. Deu partida e seguiu em alta velocidade para o destino da segunda fase, seguido de Atômica, que já nos céus de Nova Capital descobre o local, que era bem familiar para a heroína cientista.

Somente Ímã e Néon, os mais jovens do grupo, permaneceram no mesmo local, também focados em descobrir a mensagem por trás daquelas letras embaralhadas, mas diferente de Arthur, Danielle Takeshi não demorou muito para descobrir o local e alçar voo de Jardim da Redenção.

Constelação
22h30


Sentinela, Atômica e Ímã já haviam chegado a UNC, a casa do saber, local da segunda fase. Porém, nada diziam, estavam apreensivos esperando a chegada do quarto integrante, e ainda mais apreensivos por não saber o que aconteceria com o quinto.

Restava somente Viajante e Néon para chegarem no local, mas naquela noite apenas um chegaria.

Naquele meio tempo, o alienígena havia consumido 500ml de cerveja, o que de fato o ajudou a entender a charada. Diferentemente dos seres humanos, aquela bebiba alcoolica fermentada aumentava as capacidades cognitivas de Koo’hun, mas evidentemente ele não sabia disso.

Enquanto isso, o herói velocista terminava de escrever a frase decifrada com ajuda do seu smartphone, mas restava ainda matar a charada.

-Anda logo seu burro.. pensa, pensa, pensa. – Arthur batia a mão aberta na testa já nervoso, até que num vislumbre, a resposta veio em sua mente. - É isso.. nossa cara, como eu sou burro, hahahahaha. – Com um sorriso estampado no rosto, o herói partia em disparada no mesmo momento que Viajante percorria os bairros em sua motocicleta voadora.

A disputa estaria acirrada, se não fosse por um imprevisto. Uma mulher estava prestes a ser estuprada num beco, e os gritos de socorro chamam a atenção do herói velocista, que da meia volta e retorna para salvar a mulher. Em prantos, ela se joga nos braços do herói.

-AEEEHOOOO!! Cheguei meus lindos!! - Nesse momento um veículo voador invade a Univerdade de Nova Capital passando desengonçadamente por entre algumas árvores, pousando a uma grande distância do trio. Os heróis que já haviam chegado momentos antes, reconheceram de imediato de quem se tratava. A dúvida que ficava era o que aconteceu com o sempre atrasado Néon, e eles só saberiam ao final do jogo.

- Muito bem, muito bem. – A voz modulada do organizador do jogo surge nos fones, tirando os quatro heróis do pensamento acerca do velocista. - Não se preocupem com o brilhoso, ele está bem.

Foi então que Ímã percebeu um estranho brilho vindo das pulseiras dos outros três.

- Isso só pode ser brincadeira. – Disse ao perceber o brilho em sua pulseira também. Um pequeno holograma do Coelho Branco surgia da pulseira de cada um, tecnologia que Sentinela conhecia bem.

- O que foi Ímã? Isso é bem legal viu? Me lembra Power Rangers, hahaha. – O homem respondeu a heroína, para a surpresa dos quatro.

- Você escuta a gente seu desgraçado? – Sentinela disse, começando a se exautar.

- Gente, vamos voltar ao foco aqui, ainda tem quatro pessoas em perigo. – Atômica tomou a dianteira novamente, liderando os quatro jovens.

- Obrigado Atômica. Enfim, vocês devem ter percebido que essa pulseirinha tem várias utilidades. – Toda a pulseira começa a brilhar num tom de roxo, revelando pegadas de coelho indo em quatro direções diferentes. E no meio uma frase em círculo dizia “Siga o Coelho Branco”. - Só recomendo não passarem perto das árvores e dos banquinhos, vocês sabem os que esses alunos fazem no campus.

- Haha! Essa eu entendi. – Viajante exclama com um sorriso, recebendo olhar de desaprovação dos colegas. - O que foi?

Os heróis lentamente começaram a seguir caminhos opostos, obversando as pegadas escondidas no chão.

- Vocês tem menos de 5 minutos! Go, go, Power Rangers!

Os heróis partiram em disparada, ainda seguindo as pegadas.

Atômica foi a primeira a achar seu objetivo: o treinador do time de natação da Universidade, ironicamente ele era a vítima da água. Ele estava suspenso numa plataforma, todo preso com pesadas correntes e com a boca vendada e olhando aflito para a heroína, fazendo um movimento de negação com a cabeça. No momento em que passou pela entrada, a plataforma começou a se inclinar, jogando o homem diretamente na piscina. Atômica entendeu rapidamente.

- Pessoal, atenção, é uma armadilha. Cuidado, é uma armadilha. – A heroína tentou se comunicar com os colegas, porém em vão. As comunicações já não estavam mais acessíveis.

Atômica rapidamente pulou na piscina e começou a atirar pequenas rajadas de energia, somente o suficiente para quebras alguns elos e desvencilhar o homem das correntes. Sem muito esforço, pegou o homem nos braços e saiu da piscina voando juntamente com a vítima.

Já Koo’hun, que seguia as pegadas de cima de sua motocicleta, chegou até um canto mais afastado da universidade, uma parte que estava em obras para a contrução de um novo prédio. No momento que entrou passou por dois postes de luz, um caminhão cheio de terra foi acionado, e aos poucos começava a liberar terra por cima de um homem, que pelas roupas era o vigia nortuno.

Viajante acelera sua motocicleta na direção do trabalhador, e em alta velocidade agarra o homem pela roupa, retirando de debaixo da terra em segundo.

-É isso aí! A gente conseguiu Ivete! Ah não.. Ivete é ruim.. não foi dessa vez. - Disse para sua recente moto, se lembrando de um conselho de um amigo.

Do outro lado do campus, na entrada de um auditório onde acontecia grandes palestras e apresentação da faculdade de artes cênicas, Sentinela chegava seguindo as patas de coelho até a porta. O jovem olhou pela pela pequena janela de vidro da porta, mas nada viu, estava completamente escuro.

Quando o herói abriu a porta, luzes se acenderam, não as luzes do teatro, mas sim a grande fogueira que estava no centro do palco.

- Maravilha, era isso que eu queria. – Sentinela estava contente, pois esse era o único que ele saberia exatamente como usar seus poderes.

Acionou seu biocampo e correu pelas as escadarias que davam no palco, pulando cadeiras e mais cadeiras. Sem sequer parar, adentrou nas chamas e resgatou uma jovem vestida de princesa. Era a aluna que interpretaria Julieta num trabalho sobre Shakespeare.

Sentinela até mesmo aproveitou do momento para tentar uma aproximação e receber um beijo de gratidão, mas tudo que recebeu foi um tapa na cara de uma garota desesperada, que se pôs a correr dali.

Por fim, só restava Ímã. A heroína chegou até a faculdade de história, no prédio de humanas. Naquela semana estava acontecendo uma feira renascentista que Danielle torceu o nariz quando recebeu o convite, dizendo que não pisaria naquela feira nem por um milhão de reais.

- Coelho filho da puta.

A medida que se aproximava, a garota via de longe um homem na forca que estava exposta para a feira, dentro do salão de vidro, na entrada do prédio de humanas. A garota colocou a mão na maçaneta, ameaçando abrir a porta, quando percebeu uma coisa graças a seus poderes. Um sensor preso na porta. Então ela soltou.

- Aaahhh Ímã, deixa de ser sem graça, entra na brincadeira. – A voz do Coelho Branco surgiu novamente, pouco antes de ele mesmo acionar a armadilha, liberando a pequena madeira que apoiava seus pés.

Ímã entra correndo no mesmo instante, buscando algum apoio metálico. A primeira coisa que encontrou foi um escudo exposto, que saiu quebrando o vidro e voou até os pés do rapaz. Danielle enfim focou no rosto da sua vítima, um rosto conhecido. Pedro Oliveira, do 7º periodo de engenharia química, dois periodos a sua frente. A jovem simplesmente odiava o rapaz, o que ele fazia ali àquela hora, ela não sabia.

A espada que estava sendo exposta junto com o escudo ganhou vida, e também voou na direção do rapaz, mas acima de sua cabeça, cortando a corda que o enforcaria aquela noite.

- Seria uma pena se essa espada caísse e cortasse o bilau desse mané. – Disse para si mesma.

Os heróis amparavam as vítimas, excetuando Sentinela, quando a voz surgi novamente pelos fones.

- Muito bem, apesar de duas tentativas de trapaça, que eu vou perdoar de coração, parabenizo por mais uma fase concluída. Que venha a fase três.

____________________

Rolagem de dados:
Viajante:
1
Atômica: 3
Sentinela: 6
Ímã: 2
Néon: 1. Néon foi eliminado.

Viajante, Atômica, Sentinela e Ímã ganham 4xp.


Última edição por Fera em Qua Jul 08, 2015 8:23 pm, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 08, 2015 8:17 pm

Siga o Coelho Branco – Parte 3: Trindade.



- Vocês estão me deixando contente, sabiam disso? – Dizia Coelho Branco contente. - Pena que o jogo terminará para mais um de vocês.

- Muito bem, para a fase de número três, três participantes. Aliás, um dos meus números prediletos, representa tantas coisas. As trilogias de filmes, Poderoso Chefão, Star Wars, De Volta pro Futuro, Indiana Jones... e não, Reino da Caveira de Cristal não conta. Os três mosqueteiros, os três porquinhos, os três sobrinhos do Tio Patinhas. A ideia de união e equilibrio que o número três passa é simplesmente incrível, e um grande exemplo disso é a Santissíma Trindade, não é aquela dos quadrinhos da CD comics não, é aquela dos cristãos, conhecem né?.  – A cada fase que os jogadores avançavam, Coelho Branco ficava cada vez mais animado em seus discursos.

- Falando nisso, me lembrei de uma mulher na idade média, de beleza rara, que teve uma das vidas mais santificadas, até mesmo fundou uma organização pra ajudar outras jovens a se santificarem. O próximo desafio é justamente esse, vocês devem se santificar. “Como fazer isso?” vocês estão se perguntando. Basta enfrentarem a si mesmos, suas próprias naturezas. – Um sorriso por debaixo da sinistra máscara não podia ser visto pelos heróis.

- Acho que não preciso dizer mais, se não daqui a pouco dou spoiler. Vou só mandar a próxima pista para vocês. Vocês tem mais 2h para concluir essa etapa.

Uma terceira mensagem de texto, um terceiro código.

hvn xszizwz hlnvmgv fnz Liwvn: 28 25 27.752 -16 29 41.864

Objetivos:

-Descobrir a pista e achar o local de encontro para enfrentar a si mesmos:
4xp
-Enfrentar a si mesmo: ND = vantagens usadas * 2

Observações:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Canário

avatar

Mensagens : 590
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Intermediário

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qui Jul 09, 2015 9:36 pm

-- Não precisava de um beijo de amor verdadeiro, mas um "muito bem obrigado" não é nada mal de vez em quando... -- ajeita seus visores, enquanto os outros terminavam de socorrer as vítimas.

A voz do Coelho era uma mistura de ironia com um tom enigmático, o que chegava até assustar pela loucura do organizador. "Até onde esse cara vai chegar?". Sentinela terminou de escutar mais uma das instruções e discursos do homem.

Novamente, um terceiro texto surgiu na pulseira dos quatro heróis, e Ricardo se prontificou para matutar o próximo enigma. "Beleza... Mais um... Isso tá começando a ficar complicado.".

-- Isso é loucura, receber ordens de um cara que a gente nem sabe quem é. É loucura. -- diz suando frio da incerteza de até onde o Coelho Branco levaria aquela brincadeira de mau gosto.

Sentinela já tinha perdido a noção das horas, mas sabia que era tarde da noite, dá uma tapeada na mesma prancheta que havia resolvido a charada anterior. Desta vez apoiou no teto do carro, se afastando dos outros herói, infelizmente não podiam se ajudar, demorou um pouco mais a chegar num resultado.

-- Talvez... É incerto. Eu poderia apenas seguir algum deles mas isso poderia explodir todo mundo.

Respirou fundo após achar uma resposta provável. Só haviam duas horas para concluir aquela etapa.

-- Vai ter que funcionar.

Pôs o carro novamente para andar, em alta velocidade, ao novo destino, e enfrentar a si mesmo. Só não sabia como.

Seja lá qual fosse a verdadeira ameaça. Iria usar seu campo cinético para ir contra sua própria natureza, além das habilidades de combates e de sua força cinética.

________________________________________________________________________

FICHA FHVERSO:
 

-  Justiça? Que bela palavra.

"O patriotismo é o ovo das guerras."  
 
(Guy de Maupassant)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Tubarão

avatar

Mensagens : 345
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qui Jul 09, 2015 9:52 pm

Que tipo de mente doentia armaria isso tudo apenas para se divertir ?
Seria isso somente um jogo, ou apenas parte de algo muito maior e mais perigoso?

Era nítido que os heróis enfrentavam um ser brilhante e de grande intelecto naquele momento, alguém com muita inteligência  e que sabia como chamar a atenção e fazer as pessoas dançarem conforme sua música.

O Coelho Branco vinha se mostrando um verdadeiro maestro na arte de criar e manipular as situações. Era como se ele fizesse os heróis realmente seguirem sua trilha, e de fato estava fazendo.
Des de o momento em que entrou em contato com os heróis, e os botou na trilha que e os levou as bombas/pulseiras e em seguida na universidade onde ele mostrou que realmente estava disposto a matar pelo seu jogo.

Quatro elementos e quatro vítimas os simbolizando de uma forma cruel. Morte por afogamento, asfixia, soterramento ou combustão. Seria genial se não fosse algo tão terrível. Por sorte os 4 heróis restantes estavam ali para resgatar aquelas pessoas, o que os levou a próxima fase....

Atômica se sentia intrigada, não aguentava mais aquela falação toda daquele maníaco, e já não tinha mais paciência pra esse jogo doentio. Tudo que a heroína desejava naquele momento era que aquilo acabasse logo.  Mas estava longe de acabar.

O Coelho finalmente termina seu discurso e manda uma nova pista aos heróis. Dessa vez eram várias letras sem muito sentido e logo após uma sequencia numérica.

Katya sentia vontade de abandonar tudo aquilo e desistir, mas seu lado cientista falava mais alto. Todo cientista é curioso por natureza, vive na busca pelo desconhecido, em descobrir coisas novas, em descobrir a verdade. E ela se sentia curiosa em saber onde isso iria chegar. A heroína queria ir até o final e desvendar esse mistério.
Tiros, bombas e ação física era o que ela vinha enfrentando normalmente como uma das mascaradas de NC,mas isso era diferente. Talvez era justamente por ser um teste mais mental e menos físico que a fazia estar ali ainda.

Dos desafios em código, até agora este foi o mais difícil para se chegar em uma conclusão.
A heroína consegue perceber o padrão entre as letras, mas para os números ela teve de apelar a tecnologia usando seu celular.

Ainda assim, uma nova dúvida surge. Novamente ela apela para a tecnologia para pesquisar. Se tivesse seguido mais os passos de sua mãe, não precisaria disso. Nomes, histórias,construções...Ela começa a associar parte do discurso do maníaco com as pistas que conseguiu até chegar em uma possível localidade. Então rapidamente a loira parte para o local, onde possivelmente “enfrentaria a si mesma”.
Com total controle sobre suas rajadas energéticas ela já sabia qual arma usar caso precisasse. (Controle de Energia: 3)

________________________________________________________________________
FICHA Força Heroica:
 


Última edição por Atômica em Sex Jul 10, 2015 10:59 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Iceberg

avatar

Mensagens : 701
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Sex Jul 10, 2015 2:38 pm

Após a conclusão daquela nova etapa, um novo desafio foi lançado, agora com numeros e letras. O enigma estava mais difiicl que o ultimo, o que deixava o alien mais animado com as proximas fases.

Por minutos ele tentou quebrar a cabeça, em vão, ele tentava, mudava, copiava e colava, e nada parecia fazer sentido. E o desespero começou a bater, ele se ajoelha no chão e levanta as mãos ao céus.

- deus, odin, zeus, ogun, Allah!! - Ele clamava, imitando os humanos em seus momentos mais desesperadores. Sua frustação logo começou a virar raiva, seu sangue ferveu e o tom de sua vóz começou a se alterar.
- SATANAS, BELZEBU, SETE PELES, HADES, EXU, DESGRAÇA PELADA! - E suas mãos abertas logo se fecharam, e com violencia ele começou a socar o chão macio de terra. E após um rapido surto de raiva e descontrole emocional, ele se deita de costas ao chão, observando as estrelas.

E como um transe, ao olhar para o espaço ele começou a se lembrar de sua vida antiga, de como escapou da maldição terrivel que jogaram contra o destino de sua raça, de como não aceitou nada como “impossivel”, de como batalhou para conseguir o que queria, e de como nunca abaixou a cabeça e aceitou a situação, sempre virou o jogo, sempre foi o dono da cena, e não seria agora que iria desistir, nem perder para um coelho desnutrido.

O Alien então se levanta e usa seu celular como um “caderno de anotações”, e passados alguns longos minutos ele ja sabia para onde ir.

- Vamos la, *Censura* !!! - Dizia, dando dois leves tapinhas no tanque da sua moto voadora.

Contra o seu inimigo, Koo’Hun iria usar apenas a sua super força para ataca-lo, seja jogando objetos presentes na possivel cena ou dando poderosos golpes.

- Eu vou chegar ao fim disso!
Super-Força: 1

________________________________________________________________________
- Ooooooh! O Garra!


- Pegue o meu Melhor angulo, que tal uma foto de Perfil ?

Código:
[color=#663399] #663399 [/color]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 15, 2015 4:18 am

Resolução.


Constelação
23h15


Apesar de incerto, Sentinela foi o primeiro a se arriscar, e partiu da Universidade em seu carro, focado apenas em descobrir o local e concluir o jogo. Seu treinamento o tornou uma pessoa prática e objetiva.

Atômica logo em seguida, mesmo com a cabeça cheia de dúvidas e preocupações a respeito de sua família, ela queria chegar até o fim disso, e após descobrir a dica e fazer várias associações, descobriu o lugar, que ela também conhecia bem, afinal, ali começara sua família.

Viajante, delirando de felicidade pelo desafio e aventura, demora um pouco mais para descobrir a terceira pista, e suplicando a divindades das mais diversas religiões, que ele sequer acreditava, uma luz veio em sua mente. Com uma rápida busca pela web ele descobriu o local, e ao mesmo tempo achou o nome definitivo de sua motocicleta voadora.

- Vamos la, Úrsula!!! - E então arrancou em alta velocidade.

Restava apenas Ímã  para sair daquele complexo de prédios. Porém chegar a Universidade trouxa a tona todos os problemas pessoais, que tinha que enfrentar como Danielle, uma estudante de engenharia química. Isso de alguma forma bloqueou sua mente, e sequer pensava em como solucionar o código. Poucos mais de 1h havia se passado e a heroína permanecia no mesmo local, já desistindo do jogo.

- Já chega, eu desisto.

Ao dizer essas palavras, a pulseira de Ímã começou a apitar e piscar uma luz vermelha. A heroína entra em pânico, já esperando uma explosão que no mínimo arrancaria sua mão. Quando por fim o sonoro “bip” começou a acelerar, ela fechou os olhos, esticou o braço e virou o rosto na direção contrária.

Marechal de Andrade
00h40


Sentinela, Atômica e Viajante chegam quase juntos na escadaria da Igreja de Santa  ngela. Eles ficam esperando a voz do Coelho Branco surgir em seus fones, mas dessa vez ele nada disse.

O que chama a atenção do trio foi uma enorme projeção que tomou toda a fachada do templo. Aos pouco, um coelho, o mesmo do vídeo, começa a surgir na fachada do templo, e os dizeres “Siga o Coelho Branco” na mesma fonte agradável surgiu acima da cabeça do coelho.

Os heróis se entreolham, e começam a subir a escadaria lado a lado, até que chegam no topo, mas nada encontram.

Um brilho forte na fachada cega o trio por poucos segundos, e quando eles abrem os olhos novamente veem três coelhos na projeção. Os coelhos começam a correr para frente, e diminuírem aos poucos, fazendo seus olhos correrem do alto até embaixo, quando eles enfim percebem três figuras que corriam em suas direções. A única coisa que diferenciava as três jovens era a cor de seus cabelos e olhos. Uma com loira de olhos azuis, outra ruiva de olhos vermelhos e a terceira morena de olhos verdes.

- Vamos lá benzinho. - Disse a loira para Atômica, se transformando fisicamente na heroína.

- Ataque agora. - A ruiva gritou para Viajante, copiando sua aparência.

- Eu sei que você quer isso, mané. - A morena disse para Sentinela, também ficando igual o herói.

- Claro que quero. - Sentinela deu um sorriso e correu na direção de sua cópia. Atômica e Viajante ainda permaneceram parados.

O herói cobriu seu corpo com seu campo de força e preparou uma sequencia de golpes que derrubaria uma das trigêmeas rapidamente, se não fosse pela grande habilidade de esquiva que ela tinha. Quando enfim acertou um soco no estômago da garota, uma forte energia se dissipou dali, e sequer causou algum efeito nela. Sentinela olha assustado, e percebe que a garota estava protegida pelo mesmo campo de força.

- Minha vez agora, otário.

A mesma sequência de golpes que Sentinela havia aplicado, a garota usou contra o herói, porém mais rapidamente. Alguns ele conseguia desviar, mas outros ele recebia com grande força, que eram sentidos mesmo protegido por seu biocampo de força.

Atômica assiste atenciosamente àquela luta, e já formulava suas teorias de como elas copiavam. A outra Atômica também permanecia quieta, com um sorriso no rosto, olhando fixamente para a heroína.

Viajante foi o segundo a atacar, e assim como Atômica, também começara a entender. Para iniciar seu ataque, o alien correu e apenas usou sua super-força contra sua cópia. O primeiro soco que a cópia mais séria recebeu a jogou no chão, mas assim que se levantou, todos os golpes foram parados com o mesmo nível de força.

- Hahahaha - Viajante percebeu como elas copiavam os poderes, só não percebeu uma outra coisa.

Atômica, com seu olhar analítico, criou uma esfera de energia brilhante em sua mão. Poucos segundos depois sua cópia também criou a mesma esfera. Porém, para a surpresa da garota, o ataque da heroína foi destinado para uma outra cópia, a cópia do herói já derrubado. Era apenas um teste que a cientista queria fazer.

Surpreso, o falso Sentinela recebeu o golpe e foi derrubado. Então, ao se levantar, não estava mais ali a cópia do herói, mas sim a cópia de Atômica, com uma esfera de energia em mãos, então a verdadeira Atômica sorriu, tendo certeza de sua teoria.

- Pessoal, elas podem alternar copiar seus poderes apenas observando e alternar as cópias entre si, troquem de adversários. - Atômica gritou para os dois companheiros, concluindo sua teoria.

Sentinela se levantou e se aproximou de Atômica, assim como Viajante logo depois.

As três cópias continuaram a atacar. Infelizmente para elas, o ataque sempre vinha de um herói diferente, o que as forçava a alternar entre si o tempo todo. Sentinela sofria mais, pois sempre que encarava sua cópia, sentia os golpes recebidos. Porém Viajante e Atômica encaravam as cópias com mais tranquilidade, evitando usar outras habilidades além das já usadas.

De uma das cópias, um pequeno bip começou a tocar. Foi o momento que elas pararam de atacar e voltaram as formas originais, uma ruiva, outra loira e outra morena.

- Awn, que peninha, isso tava divertido até. - A loira disse para o trio de heróis, pouco antes de correr em disparada juntamente com suas irmãs.

Sentinela ameaçou correr atrás das três garotas, mas foi parado por Atômica.

-Parabéns. Vejo que conseguiram enfrentar suas próprias naturezas, exceto você Sentinela, que foi um pouco precipitado, e por isso você ganhou uma pequena desvantagem no jogo. - A fala do Coelho Branco visivalmente irritou o jovem. - Vocês gostaram das minhas meninas super-poderosas? Tudo bem, não são exatamente iguais, mas foi bastante divertido não? - Deu uma pequena pausa para aumentar o suspense.

- Que venha a quarta parte!!!

____________________

Rolagem de Dados:
Sentinela:
vs ND8
Biocampo de força(2) + Força Cinética(1) + Combate(1) + Dado(2) = 6. Falha
Atômica: vs ND6
Controle de Energia(3) + Dado(3) = 6. Sucesso.
Viajante: vs ND2
Super-Força(1) + Dado(5) = 6. Sucesso.

Sentinela, Atômica e Viajante recebem 4xp. Ímã foi elimidada.


Última edição por Fera em Qua Jul 15, 2015 4:27 am, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Qua Jul 15, 2015 4:21 am

Siga o Coelho Branco – Parte 4: Dualismo.





- Esse jogo está cada vez melhor!! Hahaha!! – A risada frenética de Coelho Branco de certa forma assustou os heróis, que só continuavam na esperança de capturar o organizador desse jogo insano. - Três menos um, dois. Infelizmente esse jogo vai acabar para um de vocês. O que é uma pena, porque realmente estou adorando isso.

- Enfim, agora que restará apenas dois, acho interessante introduzir a ideia do Dualismo. Duas realidades contrapostas, irredutíveis entre si e incapazes de uma síntese final. A eterna luta do bem e do mal. E acreditem ou não, somos bombardeados com essa ideia desde pequenos. Tom e Jerry, Pipiu e Frajola, Coiote e o Papa-léguas. O herói e o vilão. Dois opostos, incapazes de uma síntese final. Mas também aparece com mais sutileza no nosso dia-a-dia. O dia e a noite, o sol e a lua, a luz e a sombra, o frio e o quente. Temos isso nas religiões, com toda certeza, mas também no futebol, na política, nas empresas, ou seja, em todo lugar. – Suas falas começaram a ficar lentas, como se ele refletisse sobre o que dizia.

- Mas vocês, heróis, conhecem de perto esse dualismo. – Disse, depois de uma pausa. - Todos os dias de suas vidas, antes mesmo de se tornarem o que são hoje.  O que me entristece é que vocês ainda estão achando que eu sou alguma espécie de vilão de vocês. Não se enganem, não sou nenhuma das duas contrapartes. Como diria Friedrich Nietzsche, estou Além do Bem e o Mal.pdf

- Vocês já pegaram o esquema, né? Não se ajudem, pista nova depois mais duas horas, exceto para você, Sentinela, que vai receber a pista quinze minutos mais tarde. – Disse rápido, ansioso para anunciar o próximo desafio. - Enfim, indo direto ao ponto, e essa é a melhor parte. Dois de vocês vão encenar essa eterna luta do bem e do mal encontrando um inimigo do passado. E quem perder terá uma desvantagem de tempo, assim como o Sentinela. Ah, e eu garanto, um de vocês irá perder.

A voz se calou e a dica chegou para Atômica e Viajante.


4c 69 76 72 6f 73 20 70 6f 73 73 75 65 6d 2c 20 71 75 65 20 70 6f 73 73 75 65 6d 2c 20 71 75 65 20 70 6f 73 73 75 65 6d 2c 20 71 75 65 20 70 6f 73 73 75 65 6d 2e

5.5.9.6|6.1.1.1|7.7.9.3.|8.1.4.5|9.5.9.4|60.15.2.2


Minutos depois ela chegou para Sentinela.

Objetivos:

-Descobrir a pista e achar o local de onde irão encontrar um inimigo do passado:
4xp
-Inimigo do passado: ND surpresa

Observações:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Iceberg

avatar

Mensagens : 701
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Dom Jul 26, 2015 11:12 pm

Viajante ouvia o que o coelho tinha para dizer atentamente enquanto o seu corpo quente se refrescava com casa brisa gelada que atingia a sua pele. A noite parecia estar tão animada quanto Koo’Hun, que escutava as folhas ao longe dançarem com entusiasmo junto ao vento.

Segundos após o Coelho terminar de falar, a mensagem chegou no visor da pulseira. Ele mal conseguia conter sua empolgação, estava animado para ver o desenrolar daquilo, e a ultima prova apenas atiçou sua chama interna. Estava louco para decifrar as pistar e partir de encontro com o inimigo do passado, ele então encara a pulseira…

- Mas o que? - Ele pausa por alguns segundos, observando o visor.

- Essa coisa só piora! É impossivel resolver isso, sua bola de pelos doentia e retardada! - Ele exclamava e amaldiçoava o coelho para os ventos. Sua indignação era tanta que até mesmo os demonios mais escondidos nas mais profundas das entranhas do inferno poderia escuta-lo.

- Escuta aqui, EU SEI QUE VOCÊ TA ME OUVINDO! - O Alien olhava e apontava o indicador para o alto, em um ataque de furia. - Quando eu te achar, eu vou, eu vou. - Ele então leva as duas mãos na cabeça, em um gesto de “enlouquecimento”, urrando de raiva. Vai até a ursula, ergue-a com as duas mãos e se prepara para lançar para o alto. - EU VOU TE MATAR!!! - Ele corre dois passos para pegar mais impulso e tropessa nos proprios pés, fazendo com que a moto caia por cima dele.

- POR QUEEEE!?!?! - Embaixo da moto, deitado debruço ele gritava com um tom de tristeza, com a voz tremula, quase que chorando. Batia sua mão no chão, tentando aliviar sua ira. Por 10 minutos ele permanece ali, em silencio, com a cara no chão.

- Ok, vamos la, hora de terminar isso. - Ele levanta com cuidado, tentando fazer com que a Ursula não sofra danos em sua pintura. Ele coloca ela em pé, se desculpa com a mesma e lhe da um beijinho. Bate a poeira do uniforme com as mãos e volta sua atenção para o “jogo”.

Por um longo tempo ele tentou decifrar os codigos, usava seu celular como um suporte e tentava, tentava e tentava. Até que…

- HÁ!! Ta pra mim! - Ele coloca o celular no bolso de seu uniforme, e com agilidade da um salto e se acomoda na Ursula.

- Sebo nas canelas, Bala no Alvo! - E um alto zumbido foi gritado pela moto, que com velocidade sumiu por entre as ruas de Nova Capital.


Esperando enfrente um perigo fisico, Koo’Hun ira usar sua agilidade para desviar dos golpes e atacar com precisão. Usara seus bastões e super-força para causar dano no oponente e seus sentidos aguçados para não ser pego de surpresa.

Super-Força: 1
Super-Agilidade: 2
Bastões de Esgrima: 1
Sentidos Aguçados: 1

________________________________________________________________________
- Ooooooh! O Garra!


- Pegue o meu Melhor angulo, que tal uma foto de Perfil ?

Código:
[color=#663399] #663399 [/color]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Canário

avatar

Mensagens : 590
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Intermediário

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Seg Jul 27, 2015 3:51 am

A vantagem de ser o primeiro a resolver o enigma anterior não valia nada agora. Sentinela só receberia a dica para a próxima localização depois dos outros dois. Atômica, Dra. Stravinsky era uma cientista renomada com quem Sentinela já tinha alguma intimidade dentro do Sindicato, e Viajante, Koo'hun não era lá tão burro quanto aparentava para Sentinela, após visualizar alguns documentos do alienígena foragido. Mas ele se achava superior à super-herois, e se pôs a trabalhar.

-- PENSA! -- caminhou levemente exausto após o combate contra seus poderes, entrou no sedan se debruçando sobre o volante olhando o código verde exibido na tela virada para baixo em seu pulso. -- Ah Coelho... Quando eu te enfiar numa cela imunda, vou fazer questão de me certificar que você tenha o mínimo de regalias. -- recorreu à alguns recursos online para procurar uma resposta de maneira mais imediata possível. -- Que seja bem escuro e solitário pra você pensar nessas drogas de enigma, pra se divertir bastante com seus novos colegas de quarto! Hahaha

Passava diversas páginas para encontrar um resposta plausível que indicasse a localização indicada pelo organizador daqueles jogos. Direcionava suas palavras para o Coelho Branco, de onde quer que ele o ouvisse, com tom de ameaça, e raiva enquanto processava o código diversas vezes. -- Você vai ver o sol nascer quadrados por bons anos... -- sorriu quase chegando na resposta. -- Quem sabe eu te apresento o Torinni... -- jogou de lado novamente o aparelho, descendo o freio de mão e dando partida no carro cantando pneu para o provável destino.

-- Um inimigo do passado... Tô louco para o encontrar... -- aumentou o volume do rádio do carro cruzando semáforos rumo ao bairro indicado por um tipo de GPS.

Ao caminho, se conseguir encontrar de cara com o oponente, ira saltar com o biocampo pelo teto solar do sedan, indo de confronto direto com o inimigo, usando os gadgets que fossem necessários e sua força cinética para vencer a batalha entre o bem e o mal.

VANTAGENS
Biocampo de força [+2]
- Força Cinética [+1]
- Combate [+1]
- Acrobacia [+1]
- Gadgets [+1]

________________________________________________________________________

FICHA FHVERSO:
 

-  Justiça? Que bela palavra.

"O patriotismo é o ovo das guerras."  
 
(Guy de Maupassant)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Ter Jul 28, 2015 3:14 am

Resolução


Marechal de Andrade
01h00


O trio permanecia de pé em frente a Igreja de Santa  ngela, mas apenas dois deles se concentravam no quarto código que receberam. Sentinela que ainda esperaria por um tempo se afastou dos demais, indo em direção seu sedan.

Koo’hun de imediato bateu o olho e não entendeu nada, assim como Atômica, que reagiu diferente do herói alienígena. Enquanto a cientista permanecia no mesmo local olhando fixamente para a pulseira, Viajante se desesperava, gritava palavras de ódio contra o organizador do jogo e se jogava no chão de bruços, como uma criança fazendo pirraça.

Pouco depois a pulseira de Sentinela brilhava com a chegada do código. O herói rapidamente começa a decifrar parte do código, chegando numa frase que não fazia sentindo algum.

Atômica e Viajante também avançavam nos códigos, e também travam na mesma frase. Quase 1h havia se passado e os três permaneciam nos mesmos locais, a poucos metros um do outro, mas sem poderem se ajudar.

O tempo avança, e juntamente com ele Koo’hun e Sentinela avançavam no desafio. Cada um a sua maneira usava de seus celulares mais uma vez para pesquisarem no internet e por fim descobriram o próximo local. O primeiro a sair de lá foi Viajante em sua moto, seguido de Ricardo Andrade. Somente Katya Strakinsky não avançara.

Não que não fosse capaz, mas começara a questionar o porquê de tudo aquilo. Se lembrou de sua família, e a única coisa que imaginou foi o que seria deles sem sua presença. Toda a dor e sofrimento que passariam.

- Eu desisto. - Atômica disse em voz alta, já imaginando o que viria a seguir.

Sua pulseira começa a apitar e piscar uma luz vermelha. Acostumada a lidar com situações difíceis, Katya apenas fecha os olhos e se prepara.

Barão da Conquista
02h45


Koo’hun é o primeiro a chegar à movimentada Avenida Cometa, que estava tranquila aquela hora da noite, com poucos carros trafegando. O alienígena sente uma leve coceira por debaixo da pulseira.

- Isso aqui ainda vai me dar uma alergia. - Disse se coçando freneticamente, enquanto caminhava pela avenida sem movimento.

Sua atenção se voltou quando uma forte luz esverdeada atingiu seus olhos. Ele não acreditava no que via, uma espécie de automóvel espacial, com tecnologia bem parecida com sua motocicleta. Mais inacreditável ainda foi quem havia descido dali. O mesmo alienígena que havia enfrentado pouco tempo atrás, o Devorador de Espécies.

- Você.

Sentinela, que havia chegado pouco depois pela outra ponta da avenida, não descera de seu carro. Continuou em seu sedan, dirigindo mais devagar, procurando por alguma evidencia do Coelho Branco, mas nada encontrou.

A pulseira em seu braço já começava a o incomodar. Levou a mão até o pulso e coçou, ainda atento a rua. Foi então que viu de longe uma figura conhecida, e definitivamente um antigo inimigo. Avançou por mais poucos metros até se certificar que era mesmo quem ele esperava ser: Alec Torinni, parado no meio da rua. Não demorou para Sentinela descer do carro.

- Você. - O vilão disse para o herói.

Ele parecia estar esperando Ricardo, pois já empunhava dois canos de ferro. Não esperou e partiu para cima do herói com toda sua agilidade. Sentinela rapidamente aciona seu biocampo de força, e o ataque de Alec é parado. O herói estranhou, pois esperava um ataque mais forte.

Já Viajante, sequer esperou que o Devorador de Espécies dissesse qualquer coisa e partiu para cima do alienígena de pele gosmenta com seus bastões em mãos. O primeiro golpe acertou no antebraço, mas ao invés de grudar como da primeira vez, foi repelido.

As poucas pessoas que estavam em bares ou apenas passavam pela rua começaram a se acumular na calçada, gravando a mais estranha luta que eles já viram. Carros paravam assustados, e alguns até mesmo davam meia volta.

O que os dois heróis não perceberam era que estavam sob influencia de algum alucinógeno, pois não lutavam contra seus inimigos. Eles lutavam um contra o outro.

- Como você sobreviveu seu puto?!?! - Viajante gritou, esperando uma resposta do alienígena.

- O que? - Sentinela nervoso não entendeu a pergunta de Alec. - Como VOCÊ saiu?

A briga continuava com sequencias de socos e chutes vindos de ambas as partes. Sentinela jogou uma boma de fumaça no chão para despistar, mas tudo o que Viajante viu foi seu inimigo jogando ácido que gerava fumaça. O alien percebeu o chute que receberia pelas costas, e se curvou para frente, deixando a perna de Sentinela passar pelo ar. Alec se levantou acertando outro golpe na barriga de Ricardo, que mesmo com o biocampo foi derrubado. O Devorador de Espécies de levanta, apenas para receber outro golpe de Koo’hun.

Os dois heróis se degladiavam no meio da rua, sem ao menos perceber que não lutavam contra seus inimigos. Mesmo com suas habilidades, Sentinela ainda estava cansado pelo combate anterior, enquanto Viajante, com sua fisiologia alienígena mal se cansava, o que começou a se tornar vantagem para o herói vindo do espaço.

Sentinela tentou a mesmo estratégia da primeira vez, mas graças sua agilidade Viajante conseguiu se safar de ser preso pelas argolas elétricas. Rapidamente o alien correu na direção do oponente e aplicou uma sequência de golpes que derrubou Ricardo.

- VOCÊ… VAI… VOLTAR… DE… ONDE… VEIO… DESGRAÇA!!! - A cada palavra que Koo’hun dizia, um golpe era acertado contra Sentinela, que tentava se defender como podia.

Até que Viajante parou, e assustado saiu de cima do oponente caindo sentado no asfalto. Ele finalmente recobrara a consciência e viu quem atacava naquela luta. Assim como Sentinela também se levantava aos poucos e via seu colega do sindicato.

- Esse cara ainda vai fazer a gente se matar. - Sentinela riu, sentindo poucas dores musculares.

- Isso eu nunca faria meu querido. Só gosto de uma boa cena de ação. - A voz de Coelho Branco surge nos fones de ouvido mais uma vez, encerrando aquela fase. - - Por que você acha que vocês voltaram a enxergar a verdade? Eu fiz isso, oras. Não posso confiar em qualquer tipo de alucinógeno, mas posso confiar na minha nonatecnologia, que foi injetada em vocês dois. Não se preocupem, não irei controlar vocês como zumbis ou coisa do tipo, mas poderia, HAHAHAHA. - A risada sinistra do lunático assustou os dois heróis. - - Enfim, chegamos à nossa última fase, preparados?


____________________

Rolagem de Dados:

Viajante vs Sentinela

Viajante

Super-Força(1) + Super-Agilidade(2) + Bastões de Esgrima(1) + Sentidos Aguçados(1) + Dado(6) = 11
Sentinela:
Biocampo de força(2) + Força Cinética(1) + Combate(1) + Acrobacia(1) + Gadgets(1) + Dado(1) = 7

Vitória de Viajante.

Viajante e Sentinela recebem 4xps. Atômica foi elimidada.


Última edição por Fera em Sex Jul 31, 2015 1:56 am, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Ter Jul 28, 2015 3:14 am

Siga o Coelho Branco – Parte 5: Game Over.



- Marquem a data de hoje, pois a luta de vocês dois foi simplesmente maravilhosa. Vocês perceberam que vocês nasceram para isso, para lutarem? A quem diga que herói é aquele que se preocupa com as pessoas, se preocupa em deixar em coisas em ordem. Mas eu acho que vocês gostam mesmo é de socar a cara de caras maus. Bom, eu sei que vocês me consideram um cara mau, por isso vou dar a chance de socarem a minha cara. Minto, vou dar a chance de um de vocês socar a minha cara, depois disso vai receber o prêmio prometido.

- Dessa vez vou dar uma dica pra vocês: Vigenère. Vocês precisarão de uma palavra-chave. Na verdade, vocês já tem a palavra-chave, é só tentarem se lembrar, refazerem seus passos. - O homem deu uma breve pausa antes de retornar a falar. - Dessa vez terão mais tempo, três horas para a última fase. Boa sorte meus queridos.

BLRJ-YO GEMS-VYEN YO-JIIGQ KODW-FVIN HQPS-LYCARJ HQPS-JMVV ODXQ-ZEDW PVVZ-WGAE

Objetivos:

-Descobrir a pista e achar o local de encontro para enfrentar o Coelho Branco:
4xp
-Enfrentar o Coelho Branco: ND10

Observações:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Iceberg

avatar

Mensagens : 701
Data de inscrição : 04/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Sex Jul 31, 2015 1:18 am

A cada desafio que se passava a sede por ação de Koo’Hun apenas aumentava. Nenhuma das batalhas até então foram suficientes, em nenhuma ele levou seu corpo aos limites, nem ao menos suou seu uniforme galactico. Ele queria chegar até o fim, queria ver do que aquele coelho era feito, queria atravessar aquela cara com seus punhos. Era isso que seu corpo suplicava.

Ele se prepara e ja espera pela voz do Coelho maluco. Embora tivesse amaldiçoado o coelho nos ultimos desafios, Koo’Hun começou a de certa forma “admira-lo”. Todo aquele drama, todo o jeito com o qual ele levava aquilo tudo, como um jogo, uma brincadeira, isso fez com que o Viajante se animasse mais e mais, esperando pelo coelho e pela proxima fase….

O Coelho termina de explicar a ultima fase, e o nosso Alien vai a delirio.

- Maldito seja!!! Eu lhe encontrarei, seu cretino, e vou te bater até você ficar azul, Sansão!

Ele olha para o visor e rapidamente bota a cabeça pra funcionar, passa alguns minutos recapitulando o que o Coelho disse e a desmontar as suas frases, tentando buscar palavras chave, ele pensa por mais alguns longos minutos e pimba.

- Desculpa Sentinela. Vamos marcar de fazer algo se você sobreviver, uma cerveja, um tal de “capuccino”, cê que escolhe. Porque esse El Dorado sou eu quem vou achar. - Com grande agilidade e velocidade o jovem pula em sua moto.

- KATCHAU!


Com muito entusiasmo e determinação para amassar a cara do Coelho na pancada, Koo’Hun ira seguir até o local onde se encontra o inimigo. Na esperança de encontra-lo a sua espera, Koo’Hun ira tentar a primeira investida com a Ursula, tentando atropela-lo. Em seguida, caso tenha sucesso, ira jogar na defensiva, ja que os poderes e capacidades do inimigo são desconhecidos. Ira usar de seus sentidos aguçados para perceber e prever ataques. Sua super-agilidade sera para se esquivar dos golpes e ter sucesso nos contra-ataque. Seus bastões serão usados para se defender de possiveis objetos e armas afiadas e para efetuar maiores danos, ja a sua super-força sera usada de forma ofensiva, sempre aumentando seu dano a cada golpe. Visto que a situação é desvantajosa, sempre ira usar o ambiente a sua volta a seu favor, seja jogando objetos ou se escondendo para ataques surpresa.

Veiculo: 1
Super-Agilidade: 2
Sentidos-Aguçados: 1
Super-Força: 1
Bastões de Esgrima: 1

________________________________________________________________________
- Ooooooh! O Garra!


- Pegue o meu Melhor angulo, que tal uma foto de Perfil ?

Código:
[color=#663399] #663399 [/color]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Canário

avatar

Mensagens : 590
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Intermediário

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Sex Jul 31, 2015 7:36 pm

- Esse cara ainda vai fazer a gente se matar. -- sentia dores musculares por boa parte do corpo. -- Pelo menos Alec ainda está apodrecendo naquela cela fedida. -- ri alongando todo o corpo, enquanto o brilho de seu biocampo voltava aos poucos, enfraquecido.

Ainda meio zonzo com o efeito da pulseira, um vulto de Torinni circulava Koo'hun por mais alguns segundos. -- Percebi que esses golpes estavam meio fracos.. -- diz olhando para o alienígena, que claramente possuía uma anatomia diferente de Ricardo. -- Sua ficha tá em cima da minha mesa fazem dois meses, ET. Da próxima vez eu te pego. -- ri novamente estralando o pescoço, esperando o próximo passo do Coelho Branco.

No mesmo instante em que a mensagem aparece novamente em seu pulso, o agente traça uma espécie de "grelha" com letras em seu aparelho, como um método para decifrar o código, o mesmo que havia aprendido em aulas dentro da academia de agentes alguns anos atrás.

-- Colocar as coisas em ordem. -- traça algumas linhas na diagonal. -- Herói... -- ri chegando em um resultado.

Sentinela salta pra dentro do sedan que o acompanhava desde cedo na sexta-feira. -- Hora de chegar ao final da toca.. -- pisa fundo no acelerador após abaixar o freio de mão. Cortando por avenidas da cidade, cantarolava provocando o organizador dos jogos. -- Coelhinho da páscoa que trazes pra mim.. -- liga o rádio do carro -- Ovos não. -- acelera mais ainda ao som de uma boa música, se recuperando para um possível embate com Coelho Branco.

-- É bom não se atrasar para o chá, Coelho.

Sentinela chegaria ao local saltando pelo teto solar do sedan com seu biocampo ativo confrontando o Coelho, testando o efeito da energia cinética com o inimigo, assim ricochetearia ao redor do adversário usando suas acrobacias para rodear o oponente. Assim, combateria com a força cinética e suas habilidades de combate, estudando os poderes e habilidades do Coelho Branco, bolando uma estratégia para crescer na luta.

________________________________________________________________________

FICHA FHVERSO:
 

-  Justiça? Que bela palavra.

"O patriotismo é o ovo das guerras."  
 
(Guy de Maupassant)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Espectro

avatar

Mensagens : 1130
Data de inscrição : 05/06/2012
Aluno Iniciante

MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   Sab Ago 01, 2015 6:26 am

Resolução




Barão da Conquista
03h00


Restava apenas Sentinela e Koo’hun no jogo. Sentinela estava sentado no chão, derrotado, se recuperando da luta, enquanto Viajante já estava em pé, analisando o novo e último código. Não demorou muito para ambos descobrirem o local, demoraria mais para chegarem lá.

- Desculpa Sentinela. Vamos marcar de fazer algo se você sobreviver, uma cerveja, um tal de “capuccino”, cê que escolhe.  Porque esse El Dorado sou eu quem vou achar.  - Com grande agilidade e velocidade o alien pula em sua moto. - KATCHAU!

- Sua ficha tá em cima da minha mesa fazem dois meses, ET. Da próxima vez eu te pego, porque agora você vai comer poeira. - Sentinela correu para o sedan e acelerou.

Ambos começaram uma corrida lado a lado ao longo da Av Cometa, fato que só foi ocorrer na última rodada, dois participantes correndo lado a lado.

Sentinela tentava distrair Viajante, sempre jogando limpo, enquanto o alienígena se divertia com toda aquela situação, colocando a lingua para fora e balançando a cabeça, fazendo a lingua ser jogada de um lado para o outro.

Foi quando a pulseira de ambos começou a piscar num tom de vermelho e um bip, acrescido de uma voz feminina que dizia “Alerta de proximidade! Atenção! Alerta de Proximidade! A bomba explodirá em 5...”

Os heróis se assustaram.

”...4…”

Os heróis se entreolham.

”...3…”

Os heróis aceleram.

”...2…”

Sentinela freia bruscamente e derrapa, perdendo o controle do sedan, enquanto Viajante começa a planar mais alto com a motocicleta, enquanto levanta a mão, fazendo dedo do meio, sinal que aprendera a não muito tempo. A pulseira dos dois perde o brilho vermelho, revelando que já estavam a salvos.

Setor Industrial
05h15


Viajante chega no Porto de Santos com vantagem de tempo, mas ainda faltava saber onde iria encontrar o Coelho Branco e pior, como iria enfrentá-lo. Nas outras fases, o organizador do jogo apenas deixava algum tipo de rastro ou mensagem no local, exceto na última, em que os heróis combateram um ao outro.

O céu já começava a clarear, mostrando os sinais de um novo dia, quando enfim Koo’hun teve a primeira pista de como iria encontrá-lo. Um coelho branco saltou por detrás de um container. Ainda em sua moto, o alien acelerou devagar até o pequeno coelho.

- Oi amiguinho bonitinho fofinho peludinho! - Koo’hun se abaixou e pegou o animal no braços, acariciando o pêlo dele. - Você sabe me dizer onde tá seu papai? Não, você não sabe, porque você é só um coelhinho.

Logo após dizer isso, mais três coelhos saltaram de trás de outro container

- Eita. - O jovem alien se assustou, largou o coelho e seguiu na direção dos outros.

Nem bem chegou perto e de longe viu pouco mais que 10 coelhos, pulando um por cima do outro. Se aproximou mais e então viu um galpão com as portas abertas, e centenas de coelhos brancos na entrada, correndo, pulando e se divertindo.

- Esse cara é mais louco que as garçonetes do Lmj’kuyth GBV.*

Viajante seguiu devagar até a entrada do local, que estava em completa escuridão até sua chegada. Uma música começava a tocar e fortes luzes de acenderam por toda a parede do galpão que não devia ter mais que 20m de comprimento. No fundo dele estava o inimigo, que assoviava a canção ao mesmo tempo que gesticulava os braços como um maestro.


O alien deu um sorriso, colocou um capacete imaginário e acariciou sua motocicleta.

- Vamo lá Ursulinha, você consegue.

Então acelerou. O máximo que conseguiria. A primeira coisa que ele queria fazer era atropelar o homem que causou toda essa confusão. Porém, para sua surpresa, o Coelho Branco continuou fazendo gracinha no mesmo lugar. Ele estava cada vezes mais perto, mais perto, e mais perto. Koo’hun continuou acelerando até passar direto por ele. Foi então que percebeu que era só um holograma.

Cerrou os dentes e rosnou de raiva, deu meia volta e o viu em outro canto. Acelerou mais uma vez, e mais uma vez era um holograma. Correu até centro dessa vez, e olhou ao redor, com vários hologramas do Coelho Branco surgindo ao redor.

- Porque você não aparece logo de uma vez. - Gritou no ritmo da música, já contagiado.

Então todos os Coelhos Brancos sumiram até restar apenas um deles, o real. Koo’hun acelerou novamente, e quando estava perto de realmente atropelar o homem, Úsrula freiou repentinamente, lançando o alien por cima do Coelho, numa curva perfeita. Em certo momento enquanto era lançado, Koo’hun estava de cabeça para baixo, fitando o inimigo direto nos olhos, que se mostravam sorridente.

- WOOOOOOOOW - Gritou enquanto estava em pleno ar, antes de bater direto no chão. - Hey, mas o que foi isso? - Disse ao se levantar, coçando a cabeça.

- Ah, mas o que é isso Viajante. Eu sou um amigo da Úrsula também.

- NÃO OUSE FALAR DA MINHA URSULINHA!! AAAAAAAAAHHHH

Correu com seus bastões de esgrima e atacou num movimento horizontal. Coelho se desviou com um pequeno salto para trás. Koo’hun atacou com o outro bastão, num movimento parecido, e o inimigo se desviou do mesmo jeito. Cada ataque de Viajante passava direto pelo ar acompanhando o ritmo da música, pois o homem sempre se desviava para um lado, para o outro ou para trás. O único golpe que quase acertou em cheio, foi parado pelo antebraço do Coelho Branco, que no mesmo movimento pegou o braço do herói, torceu, girou e jogou para trás, fazendo Koo’hun dar três piruetas no ar antes de cair em pé, melhor que muitas ginastas.

- Você viu isso? - O alien arregalou os olhos, encantado com o feito.

- Bravo! Bravíssimo! - Coelho bateu palmas e assoviou, realmente empolgado, estranhando o jovem alien.

- Olha só, eu to gostando de você, sério. Mas eu tenho que socar sua cara, me desculpe, mas eu preciso, sabe como é né? - Koo’hun apertou os lábios, como se fosse uma obrigação dele.

- Eu entendo. - Coelho respondeu e logo após deu dois tapinhas no próprio rosto, provocando o herói.

Viajante largou os bastões de esgrima no chão, fez pose de boxeador e deu dois pulinhos, antes de dar dois socos no ar e duas esquivas, mostrando suas habilidades de luta. Coelho por sua vez, arqueou as pernas, girou os braços no ar, jontou os dois para o lado contrário e esticou um nos braços na direção de Koo’hun, chamando para a briga com as mãos.

O herói deu meia volta ao redor do Coelho, ainda dando socos no ar, até que avançou com um cruzado de direita, um de esquerda, um gancho, todos eles parados ou desviados. Koo’hun avançou novamente, e dessa vez o homem por trás da máscara parava os golpes com uma só mão, mantendo a outra atrás das costas.

Viajante começou a se irritar, e dava socos cada vez mais ágeis, até que um cruzado de esquerda acertou o rosto do Coelho no lado direito, lançando longe o seu óculos. Incrédulo, como uma criança que acaba de fazer um grande feito, Koo’hun abre um sorriso e arregala os olhos, abaixando a guarda, o que permite o homem acertar um soco bem no meio do seu nariz, que o derruba no mesmo instante.

Poucos segundos depois

A música já tinha acabado quando herói foi acordado por um copo de água na cara e dois tapinhas no rosto. Ele abre os olhos assustado e tudo que vê é uma coisa cilindrica vindo direito no seu rosto, que ele desvia com um tapa. A lingua-de-sogra que Coelho Branco assoprava voou longe.

- O que houve?

- Você vai me-você vai me desculpar-par, eu fiquei um pouco-um pouco irritado-irritado. - Aquela gagueira repentina estava assustando Koo’hun.

- Que po-po-que po-porra é essa? - Imitou o herói, dando dois passos para trás.

- Você acabou danificando meu robô, Koo’hun. Você não acha mesmo que eu daria a chance de você me capturar não, né? - Disse uma voz atrás do herói. Quando ele se virou, um dos hologramas do Coelho Branco estava logo atrás dele, mas a voz vinha de caixas de som. - Primeiramente, meus parabéns, você ganhou o jogo! Mah oe! - Uma música de vitória típica de gameshow tocou em todas as caixas de som do galpão, enquanto Coelho fazia uma dancinha imitando o Santo Silvios, um apresentador de gameshow.

- Tá bom, mas cadê meu prêmio?

- Primeiro, vamos ver como seus amigos se saíram.
Um vídeo de câmera de segurança começou a mostrar uma jovem prestes a ser estuprada, se não fosse pela ação de Néon, que prontamente derruba os três homens. Pouco depois de vencê-los, a pulseira dele se solta, e o herói temendo por uma explosão, carrega a menina nos braços e a leva para longe dali. O vídeo mostra a pulseira se dissolvendo no chão.

- Aprovado, deixou os caras pra explodirem. - Viajante bateu leves palminhas.

O segundo vídeo mostrava Ímã desesperada na UNC, com a pulseira piscando em vermelho. A heroína estica o braço, vira o rosto para um lado, e então várias peças de metal flutuam até ela, se aglomerando pouco abaixo do ombro, formando um escudo que deixava de fora apenas o braço. Então a luz forte da explosão forma apenas um clarão na tela, que quando de abaixa mostra o grande escudo tombado no chão, e apenas uma parte do que antes era o braço da heroína.

- CARALHO! VOCÊ EXPLODIU O BRAÇO DA MENINA! - Gritou Koo’hun com as mãos na cabeça, não acreditando no que via.

- Eu avisei.

- MAS VOCÊ EXPLODIU O BRAÇO DA MENINA!

O terceiro vídeo mostrava Atômica, serena, com a pulseira prestes a explodir. Ela apenas estica o braço para frente, e repousa a outra mão sobre a pulseira. Um forte clarão acontece, como no primeiro vídeo, mas dessa vez ele se dissipa rapidamente, e logo depois a heroína desmaia. O vídeo corta e mostra ela acordando, e olhando assustada para suas mãos, que brilhavam.

- Ainda não acredito que você explodiu o braço da menina, e ainda tentou explodir a tia.

O quarto vídeo mostrava Sentinela em seu carro, após ter derrapado na pista e perdido o controle do veículo. Por sorte não batera em ninguém, mas estava preocupado com possíveis arranhões. A pulseira dele também fica vermelha, mas depois fica verde e libera uma peça do tamanho de uma moeda, porém a pulseira não se solta como aconteceu com Néon.

- Tá, esse aí eu não entendi. Me explica.

- Bom, esse é o prêmio do segundo lugar, a pulseira tem acesso a internet, gps, e diversas outras funções, todas elas com tela holográfica e com comando de voz. É praticamente um smartphone de pulso. Ele até mostra as horas.

Viajante ficou em silêncio.

- E o seu prêmio ééé...

- Falo logo vai..

Ele não disse nada, mas a pulseira de Viajante emitiu um brilho vermelho e depois um brilho azulado, pouco antes de liberar uma pecinha do tamanho de uma moeda. O herói olhou e analisou, mas não entendeu o que era.

- Cuidado, essa é a bomba.

- O QUÊ!?!? - Ao se assustar ele joga ela pra cima, ele tenta pegar ela no ar, mas ela quica uma vez, duas vezes. Somente na terceira vez ele consegue agarrar ela, mas não aperta com força.

- Eu estava apenas brincando, ela já estava desarmada.

- Corno.

- Enfim... - Ignorou por completo o insulto. - Esse é seu prêmio.

- A pulseirinha? Também? - Disse com certo desprezo.

- Apenas observe.

A pulseira brilhou novamente num tom de azul, e dessa vez ela começou a se desfazer no braço do herói. Não dissolvendo no chão, ela começou a se desfazer em nanorobô que rapidamente tomaram todo o seu corpo. Viajante olhava tudo aquilo atentamente, começando a se animar.

- Vocês cinco estavam com o prêmio do ganhador desde o início e não sabiam. Mas lógico, só seria ativado aquele que chegasse ao final. Por isso te digo, nem tudo é o que parece ser meu amiguinho espacial. Até mesmo o sindicato. Enfim, a sua pulseira possui as mesmas funções da pulseira do Sentinela, porém acrescida de algumas melhorias. - A medida que Coelho Branco falava, o sorriso no rosto de Koo’hun aumentava. - A primeira delas é a blindagem. Você vai aguentar alguns tiros de calibre mais baixo, mas continua flexivel para a luta. - A novidade deixou o herói boquiaberto. - A segunda, é a função de camuflagem, você não vai ficar completamente invisível, mas pode passar despercebido na maioria das situações. A terceira delas, e melhor, é o sistema de bordo que vai te auxíliar durante suas missões.

Viajante não entendeu muito bem, até escutar uma voz em sua cabeça.

- Olá Koo’hun, eu sou Alice, seu novo sistema de bordo, o que posso fazer por você hoje?

- WOW! I’m Iron Man? - Ao mesmo tempo que em que se assustava um sorriso enorme se formava em seu rosto.

- Alice, termine de apresentar minha tecnologia por favor.

- Sim senhor. Além de blindagem e camuflagem, a nanotecnologia da pulseira é totalmente compatível com seu traje. Os nanorobôs que foram implantados em sua corrente sanguínea permitem que você acione a tecnologia por comando mental. Basta pensar para acionar.

- Obrigado Alice. Você não faz ideia de como foi custoso conseguir acessar seu traje, mas depois que passei por ele, até a sua Úrsula eu consegui controlar.

- Mas como você faz isso?

- Koo’hun, você não entendeu até agora? Eu controlo a tecnologia. Sou um tecnopata. E hoje foi um grande dia, demorei, mas consegui me comunicar com tecnologia alienígena. Só assim consegui fazer a Úrsula freiar, e só assim consigo fazer isso.

Quando Koo’hun olhou para seus braços, não estavam mais roxos, mas sim causaciano. Coelho fez o traje mudar de Koo’hun para Sehun, e de volta para Koo’hun logo depois.

- Creio que quando eu tiver condições, manderei algumas atualizações para você. Faremos contato por intermédio da Alice. Até a próxima.

- Certo, e obrigado, eu acho.

Viajante ainda não acreditava em todas as lourucas daquela madrugada, e precisava de um tempo para entender tudo. Mas o que ele mais queria fazer era testar seu novo brinquedinho.
Montou em Úrsula e saiu no galpão em alta velocidade.

* Lmy’kuuyth GBV foi um famoso restaurante do planeta V’gun, que também funcionava um hospício. Diversas vezes algumas pacientes trabalhavam como garçonetes.

____________________

Rolagem de Dados:
Viajante = Dado(3)
Sentinela = Dado(3-1) = 2. Sentinela foi eliminado.

Viajante

Super-Força(1) + Super-Agilidade(2) + Bastões de Esgrima(1) + Sentidos Aguçados(1) + Veículo(1) + Dado(1) = 7. Falha.

Ímã ganha a desvantagem permanente Deficiência Física(-1)
Atômica ganha a desvantagem permanente Instabilidade(-1)
Viajante ganha 4xps. Seus 20xps obtidos na missão são convertidos nas vantagens Blindagem(1) e Camuflagem(1).
Atômica, Ímã, Néon, Sentinela e Viajante podem postar um epílogo na ficha relacionado à missão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» [Localidade] - Em Algum Lugar da Cidade
» Estátua gigante do Seiya protege cidade no Equador.
» I FESTIVAL AÉREO DE CRATEUS - Ce
» [Promoção] Cloth Myth na faixa!
» Preços SUUUUUUPER baixos!!!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
fabricadeherois :: FHVerso :: Jogo-
Ir para: